Conheça os filmes premiados e os 10 melhores para o público paulista ::  | Curta o Curta

Conheça os filmes premiados e os 10 melhores para o público paulista

Por Guilherme Whitaker em 03/09/2001 16:20


Conheça os filmes premiados e os 10 melhores para o público paulista

´Célia e Rosita` ganha o Prêmio TV Cultura de Curta-Metragem, no valor de R$ 5 mil


Aconteceu neste sábado (01/09), no Museu da Imagem e do Som, a sessão de encerramento do 12º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo. Na cerimônia, apresentada por Domingas Person, foram anunciados os favoritos do público e os vencedores dos prêmios dados pelos parceiros do Festival. Os prêmios são os seguintes: Prêmio Revelação (restrito a filmes provenientes de escolas e cursos de cinema, cujos realizadores tenham respondido à pergunta “Por que você fez seu curta?”), dado por Kodak Brasileira, HagaDê, Quanta, EstudiosMega, Curt & Alex Associados e JLS Facilidades Sonoras; Prêmio de Aquisição Canal Brasil de Incentivo ao Curta-Metragem (restrito a filmes brasileiros que não tenham recebido o mesmo prêmio em outros festivais); Prêmio TV Cultura de Curta-Metragem (restrito a filmes do Panorama Brasil); Prêmio Terra (restrito aos participantes do concurso de Curtas na Internet); Prêmio ABD-SP (restrito aos filmes do Panorama Brasil); Prêmio MiX Brasil (restrito a curtas que tratem de temas ligados à questão da diversidade sexual); Prêmio Espaço Unibanco de Cinema (restrito a filmes brasileiros) e Prêmio Cine Mambembe (restrito a filmes do Panorama Brasil).

Entre os curtas brasileiros exibidos no Panorama Brasil, os dez mais votados pelo público do Festival foram: "A canga", de Marcus Vilar (PB); "Coruja", de Márcia Derraik e Simplício Neto (RJ); "Françoise", de Rafael Conde (MG); "Negócio fechado", de Rodrigo Costa (MG); "Onde andará Petrúcio Felker?", de Allan Sieber (RJ); "O sanduíche", de Jorge Furtado (RS); "Palíndromo", de Philippe Barcinski (SP); "Pixaim", de Fernando Bélens (BA); "Sinistro", de René Sampaio (DF), e "Um branco súbito", de Ricardo Mehedff (RJ).

Os dez filmes estrangeiros mais votados pelo público, entre os exibidos nas Mostras Internacional e Latino-americana, foram: "Alma Negra" (Âme Noire), de Martine Chartrand (Canadá); "Java Azul" (Bla Java), de Morten Holmebakk Evelid (Noruega); "O olho na nuca" (El ojo en la nuca), de Rodrigo Plá (México); "Et cetera...", de Andrey Osipov (Rússia); "Linha cruzada" (Faux contact), de Eric Jameux (França); "Jungle Jazz: Inimigo Público nº 1" (Jungle Jazz: Public Enemy # 1), de Frank Fitzpatrick (EUA); "Música para um apartamento e seis percussionistas" (Music for one apartment and six drummers), de Ola Simonsson e Johannes Stjarne Nilsson (Suécia); "Bolinhos de feijão" (Ohagi), de David Greenspan (EUA); "Quero ser" (Quiero ser), de Florian Gallenberger (Alemanha/ México), e "Dois de fraque" (Zwei im Frack), de Christian Stahl (Alemanha).

Foram dados dois Prêmio Aquisição Canal Brasil de Incentivo ao Curta-Metragem, no valor de R$ 5 mil cada, aos curtas "Françoise" e "Negócio fechado". O Prêmio TV Cultura de Curta-Metragem, no valor de R$ 5 mil, foi dado ao curta "Célia e Rosita", de Gisella de Mello (RJ), com menção honrosa para "A canga". O Prêmio Terra, no valor de R$ 3 mil, dado aos filmes participantes do concurso Curtas na Internet, ficou com "A vacalhada" (SP), de Daniel Hanai, trabalho realizado totalmente em formato Flash, com menção honrosa para "Ela, Venenosa" (SP), de Fabrício Addêo, Maria Gabriela Ramos e Poliana Moura, realizado em VHS. O troféu do Prêmio ABD-SP foi concedido ao curta "A canga", com menção honrosa para "Françoise". O troféu Coelho de Prata, concedido pelo MiX Brasil – Festival da Diversidade Sexual a filmes sobre o tema, ficou com "Franguinho" (Boychick), de Glenn Gaylord (EUA), com menção honrosa para um trabalho apresentado pelos alunos das Oficinas Kinoforum de Realização e Produção Audiovisual, "Impulso", de Renato Galvão, Sheila Moura, Bia Bernardo, Fábio Novaes Carlos de Almeida e Jorge Leandro Monteiro, da Casa de Cultura Freguesia do Ó. O Prêmio Espaço Unibanco de Cinema, dado a quatro filmes, no valor de R$ 500 cada, ficou com "O sanduíche", "Sinistro", "Palíndromo" e "Françoise". Já o Prêmio Cine Mambembe (uma cópia nova e um troféu) ficou com o documentário "Coruja".

O Prêmio Revelação, dado a um trabalho exibido nas mostras Cinema em Curso e Panorama Brasil 9, ficou com "O tempo dos objetos", de Bruno Carneiro, da Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP), com menção honrosa para "Antibiótico", de Guti Sá Freire, da Universidade Estácio de Sá (RJ). O prêmio consiste de oito latas de negativo 35mm, dadas pela Kodak Brasileira; três diárias de câmera Aaton 35mm, dadas pela HagaDê; R$ 6 mil em equipamentos de luz e maquinaria, oferta da Quanta; revelação e preparação para telecine de oito latas de negativo 35mm, da Curt & Alex Associados; duas horas de telecine off-line, oferta dos Estúdios Mega, e cinco horas de mixagem, da JLS Facilidades Sonoras.


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta

[confira outras notícias]