De Orquídeas e Selos em exibição no Rio ::  | Curta o Curta

De Orquídeas e Selos em exibição no Rio

Por Guilherme Whitaker em 25/05/2009 20:22


DE ORQUÍDEAS E SELOS no FEMINA

 

 

O documentário “De Orquídeas e Selos”, de Carolina Paraguassú Dayer, foi selecionado para participar do Femina (Festival Internacional de Cinema Feminino), que será realizado de 1 a 7 de junho, na Caixa Cultural. O festival visa valorizar e destacar o trabalho da mulher no cenário cinematográfico brasileiro e mundial e, assim, estimular o surgimento de novas diretoras.

O curta-metragem mostra a história de João Dayer Bechara, um simpático advogado de 88 anos, que recorda, através da coleção de selos, a sua vida desde a vinda de seus pais do Líbano para o Brasil, e do tempo em que colecionava orquídeas. Durante as filmagens, a equipe acompanhou Dr. João em uma viagem ao passado pela lente de suas coleções.

Esta será a segunda oportunidade para o público carioca assistir à obra de Carolina Paraguassú Dayer. O documentário “De Orquídeas e Selos” foi exibido pela primeira vez durante o REcine (Festival Internacional de Cinema de Arquivo), realizado em outubro de 2008 no Arquivo Nacional do Rio de Janeiro. Após este primeiro e único contato com o público, o filme foi remontado e passou por uma segunda etapa de finalização que, concluída, será exibido em junho durante o Femina.

O documentário foi realizado após a oficina do REcine, ministrada em julho de 2008 pelo cineasta Eduardo Escorel, que orientou os participantes na realização dos curtas. O desejo da jornalista goiana em contar a história de seu avô surgiu numa viagem para o Espírito Santo.

- Fui selecionada para a oficina, que é muito disputada no Rio de Janeiro. Uma semana antes de começar o REcine ainda não tinha um tema para o documentário e meu avô comentou sobre os selos de sua coleção e as histórias que existem neles. Sempre tive vontade de fazer um filme com meu avô, que com 88 anos continua trabalhando diariamente, e o curta foi uma forma de homenageá-lo – comentou Carolina.

Com pouco tempo para a realização do documentário, a cineasta reuniu uma equipe formada por profissionais experientes e iniciantes, divididas em duas equipes. No Rio de Janeiro foram filmados o depoimento do Dr. João e a pesquisa para o material de arquivo necessário ao curta. Cumprida esta etapa, a finalização das duas versões foi realizada em Goiânia, onde outros profissionais participaram do filme.

Além do Femina, o documentário “De Orquídeas e Selos” concorrerá na VII Mostra ABD Cine Goiás, mostra competitiva paralela ao FICA (Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental), que acontece na cidade histórica de Goiás, também em junho.

 

Filmografia da Diretora

A diretora também está finalizando um documentário longa-metragem, que teve início em 2005, durante a graduação em Comunicação Social – Jornalismo pela PUC-Rio, e que conta com equipe de Goiânia e Rio de Janeiro. O filme “Resistência.doc” narra a história política de Goiás na primeira metade da década de 1960. Através de depoimentos de personagens da época e orientado pela análise de um vasto acervo documental, o documentário aborda o governo planejado de Mauro Borges Teixeira (1961-1964) e dois momentos importantes na história nacional: o Movimento da Legalidade em 1961 e a Intervenção Federal do regime civil-militar no ano de 1964 em Goiás.

Carolina dirigiu, produziu e editou diversos filmes durante a graduação no Rio de Janeiro e após seu retorno para Goiânia. Entre eles, “Selva do Meu Desejo” (edição) e “Dinorah Marzullo” (edição) com direção do dramaturgo Roberto Athayde, no Rio de Janeiro e em Goiânia, participou das obras: “Sexodrama” (direção de produção) direção de Alyne Fratari, “Kalunga” (montagem) direção de Luiz Elias, Pedro Nabuco e Sylvestre Campe, e “Resistência.doc” (direção, produção, pesquisa, roteiro e edição).

Recentemente integrou em Goiânia o júri de premiação do 2º MIAU – Mostra Independente do Audiovisual Universitário e participa do FICA (Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental) na mostra competitiva com o longa-metragem Kalunga.

 

Parceiros do Filme

O curta “De Orquídeas e Selos” foi realizado pela Sabiá Filmes com os parceiros Câmera na Mão Cinema e Vídeo e Fóton Arquitetura Design, e os apoios do Arquivo Nacional, Curta o Curta, Delírio Tropical, Le Pain Du Lapin, Arte Flores, ABD Nacional e ABD-GO.

 

SERVIÇO

De Orquídeas e Selos no FEMINA 2009

Competição de Documentários - Programa 2

Sala de Cinema: Quarta-feira 03/06, 16h
Sala de Vídeo: Sábado 06/06, 18h30
Local: Caixa Cultural
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro, Rio de Janeiro - RJ
ENTRADA FRANCA

Assessoria de Imprensa:

Rio de Janeiro: (21) 9654-8540 (Gustavo Marialva) gmarialva@gmail.com

Goiânia: (62) 9112-3393 (Geórgia Cynara) imprensa@georgiacynara.com

 

Contatos do Filme:

E-mail: sabia.cine@gmail.com

Telefone: 21 8876-3503 (Carlos Eduardo Valinoti) | 62 8119-6369 (Carolina)

Mais informações: http://sabiafilmes.blogspot.com

 

 

FICHA TÉCNICA COMPLETA:

DIREÇÃO Carolina Paraguassú Dayer

ASSISTÊNCIA DE DIREÇÃO José Eduardo Pachá

PRODUÇÃO Carolina Paraguassú Dayer, Carlos Eduardo Valinoti e Renata Sholl

ASSISTÊNCIA DE PRODUÇÃO Tatiana Furtado

ARGUMENTO Carolina Paraguassú Dayer

ROTEIRO Carolina Paraguassú Dayer, Luiz Felipe Cezar Mundim e Pedro Nabuco

DIREÇÃO DE ARTE Renata Sholl

FOTOGRAFIA E CÂMERA Cléber Cruz

ASSISTÊNCIA DE FOTOGRAFIA E CÂMERA Inácio Moraes

SOM DIRETO Joca Fragoso

EDIÇÃO Carolina Paraguassú Dayer

EDIÇÃO DE SOM E MIXAGEM Joca Fragoso

MÚSICAS: Stride La Vampa de Giuseppe Verdi e Carmen de Georges de Bizet interpretadas por Carmen Leonora

LETREIROS E ANIMAÇÃO Luiz Botosso e Thiago Veiga

STILL Erica Modesto

TRATAMENTO DE FOTOGRAFIAS Carlos Eduardo Valinoti

MAKING OF João Gabriel Paixão

 

ARTE GRÁFICA Leonardo Abreu Ferreira


ASSESSORIA DE IMPRENSA – RJ Gustavo Marialva e Tahiana Rani

ASSESSORIA DE IMPRENSA – GO Geórgia Cynara

 

DURAÇÃO: 14 minutos e 40 segundos

 

SINOPSE – PORTUGUÊS

De Orquídeas e Selos

Um advogado de 88 anos revê sua coleção de selos e rememora sua vida, desde a vinda de seus pais do Líbano para o Brasil, e do tempo em que colecionava orquídeas.
 


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta




[confira outras notícias]