Entre Todos 2008, em Sampa ::  | Curta o Curta

Entre Todos 2008, em Sampa

Por Guilherme Whitaker em 09/12/2008 22:35


Programação inclui mostra competitiva de filmes, shows com DJ Dolores e Cordel do Fogo Encantado, além de mostras programadas por cineclubes e grupos culturais nas periferias da cidade

A Comissão Municipal dos Direitos Humanos (CMDH) da Prefeitura de São Paulo – em parceria com a FESP e apoio do SESCSP - promove, de 02 a 10 de dezembro, intensa programação comemorativa aos 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Pelo segundo ano consecutivo a CMDH promove o Festival de Curtas-Metragens ENTRETODOS, cujo objetivo é promover o debate sobre o tema utilizando o audiovisual como meio de chegar a um número cada vez maior de pessoas. O público poderá conferir apresentações do DJ Dolores e Banda na abertura oficial do Festival e, no encerramento, show do grupo Cordel do Fogo Encantado.

Em 2008, o 2º Festival de Curtas-Metragens ENTRETODOS recebeu centenas de inscrições. Destas, 27 trabalhos foram escolhidos para participar da mostra competitiva, que acontece entre 03 e 10 de dezembro no Sesc Vila Mariana. Serão selecionados por um júri especialmente quatro curtas, nas categorias melhor curta-metragem, melhor roteiro, melhor diretor estreante e visão social. O júri é composto por nomes como Fernando Meirelles, Gregório Bacic, Danilo Santos de Miranda, Clarisse Abujamra, André Goldman, Soninha Francine, Daniel Piza etc. A CMDH premiará os escolhidos com um total de R$ 30.000,00. O público poderá votar nos curtas exibidos no Sesc Vila Mariana. O mais votado pela escolha popular será agraciado com o prêmio mochileiro, cujo ganhador deverá levar os curtas e o debate sobre direitos humanos pelo país.

Os filmes estão agrupados em cinco blocos, que poderão ser assistidos em dias e horários alternados: Entretodos na pele; Entretodos na rua; Entretodos na cabeça; Entretodos na vida; Entretodos no outro. Cada um dos blocos exibe alguns dos curtas selecionados. Este ano há curtas-metragens em todos os formatos de captação possíveis. As sessões são gratuitas, basta retirar os ingressos com uma hora de antecedência. Além das exibições no Sesc Vila Mariana, a programação da 2ª edição do Festival pode ser conferida simultaneamente em espaços culturais e em núcleos de cinema espalhados pela cidade. Projeções na zona norte, programadas pelos grupos FABICINE, SAPOCINE e Centro de Cidadania Juventude Ativa (Brasilândia, Vila Nova Cachoeirinha, Jardim Antártica, Jardim Peri); na zona leste, organizada pelos grupos Fabrica de Imagens, Cine Campinho e Mundo em Foco – Perifacine (Jardim Bandeirantes, Jardim Fanganielo, Vila Santa Inês, Brás e São Mateus); na zona sul, programadas pelos grupos Núcleo de Comunicação Alternativa, CineBecos e Cineclube Paraisopolis (M`Boi Mirim, Cidade Dutra, Campo Limpo e Paraisopolis). Fomentadores de atividades culturais itinerantes, que promovem a valorização dos artistas e de suas obras, criando um circuito de espaços de exibição.

Grupos que oferecem entretenimento a jovens, adolescentes e adultos, proporcionando o desenvolvimento de um olhar mais crítico e fomentando a formação da cidadania. Mobilizações que buscam fazer uso de meios como TV, cinema, internet e fotografia como instrumentos de inserção em um mundo cada vez mais globalizado, promovendo exibições gratuitas de curtas-metragens em escolas, ONGs e associações das periferias de São Paulo. O cinema transbordando por becos e vielas. Escadões viram telas de projeção. A mídia entendida e utilizada como ferramenta de transformação social, com nova concepção de informação comunitária.

O 2º Festival de Curtas-Metragens ENTRETODOS também promove oficina de construção de instrumentos musicais a partir de materiais orgânicos e sintéticos (vidro, plástico, pedra, pedaços de objetos obsoletos, madeira e sucata caseira). A oficina é ministrada por Fernando Sardo, que pesquisa e constrói instrumentos musicais de cordas, sopros e percussão de diversas culturas e épocas há 15 anos . Em seu trabalho, integra a música às artes plásticas resultando na criação de instrumentos musicais e de esculturas sonoras construídas com matérias primas nativas como cabaça e bambu, madeira, pedra e também com outros materiais alternativos como metal, vidro, papel e plástico. Ele utiliza seus instrumentos e esculturas sonoras em suas composições e em seus trabalhos musicais A oficina, que será ministrada para 30 pessoas selecionadas, será ministrada no Sesc Vila Mariana. O último dia da oficina será dedicado à composição de trilha sonora ao vivo interpretando um ou mais curtas que expressem questões de Direitos Humanos.

Dois debates entremeiam a programação. O primeiro aborda o chamado Cinema Seco, que inclui mostra de filmes e debate e que reúne filmes cujas temáticas podem ser ligadas a regiões semi-áridas do planeta e seus conflitos sociais. A sessão e o debate serão conduzidos por Petrônio de Lorena (diretor, roteirista e músico que reside entre Recife e Rio de Janeiro) e Sergio Oliveira (diretor e roteirista). O segundo é um debate sobre cinema e direitos humanos. Os debates são também gratuitos, sendo necessário retirar convites com uma hora de antecedência.

A programação também pode ser conferida no site: www.entretodos.com.br


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta




[confira outras notícias]