Festival de Documentários É Tudo Verdade divulga vencedores de sua 19ª edição ::  | Curta o Curta

Festival de Documentários É Tudo Verdade divulga vencedores de sua 19ª edição

Por Curta o Curta em 14/04/2014 20:59


19ª edição do Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, encerrada no último domingo,13 de abril, em São Paulo e no Rio de Janeiro, anunciou seus vencedores na noite de sábado (12), em cerimônia no Cine Livraria Cultura (SP).

 

“Homem comum”, de Carlos Nader, foi o vencedor do Prêmio CPFL Energia / É Tudo Verdade para o melhor documentário brasileiro de longa ou média-metragem, no valor de R$ 110 mil, e também do Prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Cinema - ABRACCINE para o Melhor Documentário Longa ou Média-Metragem na Competição Brasileira. O longa acompanha a trajetória do caminhoneiro paranaense Nilson de Paula, e de sua família. Ao longo do processo de produção, as vidas de Nilson, de sua mulher e de sua filha se transformam – bem como a vida do próprio diretor. Além do longa de Carlos Nader, a ABRACCINE também contemplou o curta “Sem Título #1: Dance of Leitfossil", de Carlos Adriano, como Melhor Documentário Curta-metragem.

 

Ainda na Competição Brasileira, o longa “Democracia em preto e branco, de Pedro Asbeg, sobre a relação entre futebol e política em meados dos anos 1980, ganhou menção honrosa do júri oficial. Entre os curtas-metragens na Competição Brasileira, o prêmio de Melhor Filme ficou com “Borscht, uma receita russa”, de Marina Quintanilha, e “E”, de Alexandre Wahrhaftig, Helena Ungaretti e Miguel Ramos, ganhou menção honrosa.

 

O Prêmio Aquisição Canal Brasil de Incentivo ao Curta-Metragem foi concedido ao filme “Com uma câmera na mão e uma máscara de gás na cara”, de Ravi Aymara, produzido com imagens captadas durante as manifestações de junho 2013 no Rio de Janeiro. Já a Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas - ABD São Paulo premiou “E” (também ganhador de menção na Competição Brasileira) como melhou filme, e concedeu uma menção a “Sem Título #1: Dance of Leitfossil” (também vencedor do prêmio da ABRACCINE).

 

Entre os documentários internacionais exibidos no evento, o júri oficial premiou o longa francês “Jasmine”, de Alain Ughetto; o curta dinamarquês “Mãe é Deus”, de Maria Bäck; e documentário em curta-metragem espanhol “O domador de peixes”, de Roger Gómez e Dani Resines.

 

A partir do dia 22, até o dia 24 de abril, o É Tudo Verdade passará por Campinas (SP); entre os dias 30 de abril e 4 de maio será a vez de Brasília (DF); e Belo Horizonte (MG) receberá o evento de 24 a 27 de julho - sempre com entrada franca. Para saber mais, visite o site oficial do Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade.


Fonte: ANCINE


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta




[confira outras notícias]