FÓRUM DE DEFESA E PROMOÇÃO DO CINEMA INFANTIL DESTINA CARTA A DILMA ROUSSEFF ::  | Curta o Curta

FÓRUM DE DEFESA E PROMOÇÃO DO CINEMA INFANTIL DESTINA CARTA A DILMA ROUSSEFF

Por Guilherme Whitaker em 21/09/2012 14:38


Com o propósito de envolver o poder público e demais atores sociais em um amplo Pacto pela Infância Brasileira, o Fórum de Defesa e Promoção do Cinema Infantil Brasileiro, reunido durante o 45º FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO, consolidou um documento que foi entregue, na manhã de hoje, quinta-feira, 20 de setembro, ao Ministro-Chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, tendo como destinatária a Presidenta Dilma Rousseff, e à Ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência. O documento ainda será levado à Ministra da Cultura, Marta Suplicy, ao Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, ao Senado e à Câmara Federal.

A carta solicita a estruturação de uma Política Pública para o Cinema e o Audiovisual para a Infância, com a destinação de, no mínimo, 25% de todos os recursos dirigidos ao setor. Na argumentação, os representantes do Fórum argumentam que, na história do cinema brasileiro, apenas 2% dos filmes se destinam ao público que soma mais de 50 milhões de crianças.

Nomes historicamente engajados na causa assinaram a carta: Ziraldo, Carla Camurati, Maria da Graça Xuxa Meneghel, Silvio Da-Rin, Díler Trindade, Pedro Rovai, Nilson Rodrigues, Márcio Curi, Vladimir Carvalho, Carla Esmeralda, Luiza Lins, Luciana Druzina, André Ristum, Anna Karina de Carvalho e Iberê Carvalho.

Abaixo, a íntegra do documento:

EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTA DA REPÚBLICA DILMA ROUSSEFF

O Fórum de Defesa e Promoção do Cinema Infantil Brasileiro, reunido durante o 45º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, propõe a Vossa Excelência que se estruture no país uma Política Pública para o Cinema e o Audiovisual para a Infância, que seja suportada pela destinação de, no mínimo, 25% de todos os recursos dirigidos ao setor.

O objetivo do Fórum é sensibilizar o Governo Brasileiro, o Congresso Nacional, os Ministérios da Cultura, da Educação e dos Direitos Humanos, a Agência Nacional do Cinema, governos estaduais e municipais e as empresas públicas e estatais para a consolidação de um Pacto pela Infância Brasileira, no qual o cinema e o audiovisual sejam considerados elementos estruturantes na consolidação de valores, visões de mundo, promoção e proteção da diversidade cultural e sedimentação de identidades.

Na história do cinema brasileiro, apenas 2% dos filmes se destinam ao público infantil. Atualmente, as crianças brasileiras, que perfazem um total aproximado de 50 milhões, passam 4 horas por dia em frente à televisão, o que, por si só, constitui um risco de virtualização da infância sem a necessária mediação de conteúdos audiovisuais brasileiros que possibilitem contato dessas crianças com a diversidade cultural.

Como bem disse a presidenta Dilma, a Cultura é um direito e a consolidação da cidadania cultural deve ser buscada por meio de políticas públicas de formação de plateia para os conteúdos brasileiros. Para tanto, pedimos seu apoio e empenho para que 25% de todos os recursos públicos destinados ao cinema e ao audiovisual no Brasil sejam dedicados à promoção, difusão e produção de conteúdos para nossas crianças.

São signatários desta carta: Ziraldo, Carla Camurati, Maria da Graça Xuxa Meneghel, Silvio Da-Rin, Díler Trindade, Pedro Rovai, Nilson Rodrigues, Márcio Curi, Vladimir Carvalho, Carla Esmeralda, Luiza Lins, Luciana Druzina, André Ristum, Anna Karina de Carvalho, Iberê Carvalho

Fonte: ObjetoSim


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta




[confira outras notícias]