Goiânia Mostra Curtas abre inscrições para oficinas gratuitas ::  | Curta o Curta

Goiânia Mostra Curtas abre inscrições para oficinas gratuitas

Por João Carlos Martins em 10/08/2015 15:47


Animação para adolescentes, Documentário e a história que se quer contar, Som e Trilha Sonora – Limites e Interseções são as três oficinas gratuitas programadas para a 15ª Goiânia Mostra Curtas, entre 6 e 11 de outubro, em Goiânia. Para estas atividades, o Icumam abre inscrições, entre 11 de agosto e 16 de setembro pelo site www.goianiamostracurtas.com.br .

 

Até o momento, o festival conta com patrocínio da Petrobras. Com o projeto aprovado pela Lei Rouanet, o Icumam busca outros parceiros junto a empresas e organizações do terceiro setor.

 

Durante o festival, entre 7 e 10 outubro, das 14h às 18h, no Centro Cultural UFG, a dupla Alexandre Eschenbach e Andrea Nero se propõe a iniciar adolescentes, entre 12 e 18 anos, como animadores em Stop Motion, usando a técnica de pixilation. Segundo os ministrantes, a ideia é acessar o mundo da fantasia, usando o mundo real (imagens fotográficas) para criar histórias de forma interativa e divertida.

 

Para isso, um conjunto de ações práticas e de informação integram educação, comunicação e tecnologia, a fim de criar uma atmosfera mágica capaz de despertar um novo olhar sobre o mundo  que nos rodeia e sobre o que somos capazes de realizar. Para esta oficina, não haverá análise curricular, as 20 vagas serão distribuídas entre os primeiros inscritos.

 

A oficina Documentário e a história que se quer contar vai se estruturar a partir das noções de produção de documentários à luz do entendimento de o que é o contemporâneo. Conduzida por Marcelo Pedroso e Mariana Lacerda, entre 8 e 10 de outubro, das 10h às 13h, no Centro Cultural UFG, o conteúdo a ser ministrado mantém relações com a produção audiovisual enquanto arma e dispositivo para se pensar e se posicionar em relação ao nosso tempo. Sendo assim, a atividade perpassa ideias para entender questões sobre memória, política, resistência, velocidades, existências e movências, para alcançar o desejo de se narrar histórias tendo como linguagem o filme.

 

O renomado coletivo O Grivo é esperado para compartilhar conhecimento sobre Som e Trilha Sonora – Limites e Interseções, de 8 a 10 de outubro, das 9h às 13h, no Sesc Goiás. Os participantes vão manter contato com a obra assinada por Marcos Moreira e Nelson Soares para discutir a função e as diferentes formas de utilização do som direto e de sons gravados nos mais diversos ambientes, na construção de um diálogo com a trilha sonora.

 

O programa também prevê a reflexão sobre possibilidades diversas de comunicação da trilha e do som direto com os conceitos e parâmetros formais articulados nestas mesmas obras. As perspectivas e funções estéticas adquiridas pelo som direto, ou atribuídas a ele, no processo de mixagem dos trabalhos audiovisuais também serão discutidas.

 

Sobre os ministrantes

 

Alexandre Eschenbach

Diretor de animação e artista plástico. Formado em Publicidade e Propaganda pela ESPM, em São Paulo, trabalha com computação gráfica há mais de 25 anos, boa parte deles na produtora Vetor Zero, onde hoje é Diretor de Animação. Trabalhou como animador em projetos nacionalmente conhecidos, como a Tartaruga e o Siri da Brahma. Apesar de desenhar desde pequeno, e nos últimos anos participar de vários cursos e workshops, resolveu se dedicar ao estudo de uma de suas grandes paixões, a pintura realista, no atelier do pintor Maurício Takiguthi, onde estuda há mais de 7 anos.Seu trabalho mostra sua visão de beleza através de detalhes, sugerindo ao espectador pequenasestórias e também uma maneira diferente de ver o mundo.

 

Andrea Nero

Produtora Cultural, documentarista, pesquisadora e roteirista. Possui 15 anos de experiência na área de comunicação junto a produtoras e finalizadoras de cinema, publicidade e entretenimento onde implantou a realização de novos negócios nas áreas de entretenimento e realizou curadoria de projetos culturais. Na OCCHIO NERO Produções, Andrea Nero realiza consultoria para cinema e TV: curadorias de projetos, oficinas, teatro,  roteiros, finalização de curtas e longas metragens.

 

Marcelo Pedroso

Nasceu em 1979, em Recife/PE. É cofundador da Símio Filmes, produtora de cinema em Pernambuco. Entre os filmes que realizou estão os longas-metragens “Brasil S/A”, “Pacific”, “KFZ-1348” e os curtas “Câmara Escura” e “Em trânsito”. Mestre em cinema pela Universidade Federal de Pernambuco e doutorando na mesma instituição com pesquisa sobre documentário contemporâneo. Atua também como educador dando cursos e oficinas em diversas regiões do país.

 

Mariana Lacerda

Nasceu em 1975, em Recife/PE. É cofundadora da Bebinho Salgado 45, produtora de cinema em Pernambuco. Escreveu e dirigiu três filmes dedicados ao tema cidade: “Menino-aranha”, “A Vida Noturna das Igrejas de Olinda” e “Pausas Silenciosas”. Autora do livro “Olinda”, laçado em 2015, que, ao lado da artista Clara Moreira, narra as memórias contidas nas paredes daquela cidade. Trabalha com pesquisa e edição de texto. Interessa-se por temas relacionados à memória de pessoas, objetos e espaços construídos.

 

O Grivo

Formado em 1990, o coletivo O Grivo notabilizou-se num primeiro momento pelas produções musicais realizadas para outros artistas, como Cao Guimarães, Lucas Bambozzi, Rivane Neuenschwander e Valeska Soares, entre outros. O grande apelo visual de suas instalações, contudo, fez com que a dupla passasse a ser reconhecida pela qualidade plástica – e não apenas sonora – de suas criações, a partir da participação na exposição “Antarctica Artes com a Folha” (1996). Com engenhocas bem-humoradas e aparentemente precárias, de onde brota a harmoniosa combinação de sons e ruídos que constitui sua marca registrada, O Grivo pertence ao seleto grupo de artistas sonoro-visuais brasileiros, como o coletivo carioca Chelpa Ferro ou o paulistano Paulo Nenflidio, cujas obras são comparáveis tanto do ponto de vista estético quanto pela característica de transformar os objetos mais impensáveis em instrumentos musicais. Diferentemente desses, porém, e devido talvez à formação musical de seus dois integrantes, Marcos Moreira e Nelson Soares, as obras d’O Grivo priorizam a sonoridade: o efeito visual está longe de ser casual, evidentemente, mas a imagem, como eles dizem, é uma consequência da funcionalidade sonora e musical. 

 

SERVIÇO

 

Inscrições: 11 de agosto a 16 de setembro 2015

www.goianiamostracurtas.com.br

 

Oficina: Animação para adolescentes

Ministrantes: Alexandre Eschenbach e Andrea Nero

7 a 10 outubro – 14h às 18h

Sala de Ação Educativa – Centro Cultural UFG

Carga horária: 16h/aula

Público-alvo: adolescentes de 12 a 18 anos

Capacidade: 15 alunos

 

Oficina: Documentário e a história que se quer contar

Ministrantes: Marcelo Pedroso e Mariana Lacerda

8 a 10 de outubro - 10h às 13h

Sala de Ação Educativa – Centro Cultural UFG

Carga horária: 9h/aula

Público-alvo: estudantes, pesquisadores, profissionais do audiovisual

Capacidade: 20 alunos

 

Oficina: Som e Trilha Sonora – Limites e Interseções

Ministrantes: Coletivo O Grivo (Marcos Moreira e Nelson Soares)

8 a 10 de outubro - 9h às 13h

Sesc Goiás

Carga horária: 12 h/aula

Público-alvo: pessoas interessadas em música ou cinema.

Capacidade: 20 alunos


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta




[confira outras notícias]