Mostra Cinema de Garagem de 25 a 27 de Maio em Fortaleza ::  | Curta o Curta

Mostra Cinema de Garagem de 25 a 27 de Maio em Fortaleza

Por Guilherme Whitaker em 25/05/2011 12:51


 MOSTRA E CICLO DE DEBATES “CINEMA DE GARAGEM”
Local: Alpendre
25 a 27/05/2011

18:30 sessão de curtas / 19:30 mesas de debate

 


A Mostra e Ciclo de Debates “Cinema de Garagem” surgiu a partir da ideia do lançamento do livro “Cinema de Garagem”, de Marcelo Ikeda e Dellani Lima. O livro traça um panorama das transformações no audiovisual brasileiro independente nos últimos dez anos, identificando novos modos de produção e de difusão de um conjunto de obras e com o surgimento de uma geração de realizadores viscerais. Tendo as ideias do livro como simples ponto de partida, busca-se promover um debate sobre os rumos do cinema independente brasileiro e suas interseções com a produção cearense, apontando, entre outras questões, para os modos colaborativos de produção e as possibilidades de representação política dessa jovem geração.

O livro "Cinema de Garagem"está sendo vendido para todo o Brasil no site da Mostra do Filme Livre.

 

 

 

QUARTA-FEIRA DIA 25/05:


19:00
Lançamento do livro CINEMA DE GARAGEM


CINEMA DE GARAGEM - um inventário afetivo sobre o jovem cinema brasileiro do século XXI
Autores: Dellani Lima e Marcelo Ikeda.
Preço de venda do livro: R$10.

“É possível afirmar que 2010 foi um ano paradigmático na renovação de um cinema brasileiro. Podemos escolher dois acontecimentos-chave que simbolizaram esse momento: o primeiro, logo no início do ano, e o segundo, já em seu final: a premiação de Estrada Para Ythaca e de O Céu Sobre os Ombros nos Festivais de Tiradentes e de Brasília, respectivamente. Essas premiações – mais do que meramente legitimar o valor ou a importância dos filmes – funcionaram para dar visibilidade a uma produção que agora recebe destaque mas que na verdade possui uma trajetória muito anterior aos prêmios, que ainda permanece subterrânea, desconhecida. Se os festivais e a crítica brasileiros começam a reconhecer o amadurecimento dessa cena, é importante destacar que esse movimento de renovação do cinema brasileiro não está começando agora, mas que na verdade esses são os frutos de um processo que dura pelo menos dez anos. Esta publicação, carinhosamente intitulada de CINEMA DE GARAGEM, pretende apresentar um primeiro inventário do perfil dessa nova cena. Evidentemente, não temos a pretensão de “dar conta” da miríade de realizadores, tendências, características e filmes que surgiram nesse período, mas apenas apresentar exemplos da vitalidade dessa produção.”


19:30 DEBATE
“O cinema brasileiro da primeira década do século XXI”

Dellani Lima – realizador e curador (MG)
Marcelo Ikeda – realizador e crítico (professor UFC)
Ivo Lopes Araújo - realizador
Mediação: Alexandre Veras

A primeira década do século XXI (2001-2010) foi um período de grandes transformações no audiovisual brasileiro, tanto nos modos de produção quanto nos de difusão. O impacto dessas transformações será discutido pela mesa, composta pelos autores do livro CINEMA DE GARAGEM, um primeiro inventário de uma nova geração de realizadores.

 

 

QUINTA-FEIRA DIA 26/05:


18:30
MOSTRA DE CURTAS

O Mundo é Belo, de Luiz Pretti
El dia que me quieras, de Dellani Lima
Domingo, de Camila Battistetti e Danilo Carvalho
O Som do Tempo, de Petrus Cariry
Eu, Turista, de Guto Parente

Ao mesmo tempo em que se multiplicam as redes colaborativas, a acessibilidade do digital tem potencializado a realização de filmes “de um homem só”, realizados por uma única pessoa. Os curtas selecionados transformam a simplicidade desse modo de produção em um olhar, seja para o mundo seja para a sua própria intimidade.

 


19:30 DEBATE
Novos modos de produção: os arranjos colaborativos

Guto Parente – realizador
Petrus Cariry - realizador
Salomão Santana – realizador
Mediação: Dellani Lima


Nesta década surgiram coletivos de realizadores, que ofereceram novas possibilidades de produzir obras audiovisuais em que os modos de produção sejam menos hierárquicos e centralizados. Quais são os impactos da formação desses coletivos? Há um processo mais plural e aberto para a realização das obras, ou trata-se apenas de um processo político de fortalecimento das identidades?

 


SEXTA-FEIRA DIA 27/05:


18:30
MOSTRA DE CURTAS

Casa da Vovó, de Victor de Melo
Perto Demais, de Rúbia Mércia
A Curva, de Salomão Santana
Cidade Desterro, de Glaucia Soares
Carta do Ceará, Marcelo Ikeda


Ao mesmo tempo em que se multiplicam as redes colaborativas, a acessibilidade do digital tem potencializado a realização de filmes “de um homem só”, realizados por uma única pessoa. Os curtas selecionados transformam a simplicidade desse modo de produção em um olhar, seja para o mundo seja para a sua própria intimidade.

 

19:30 DEBATE
Novos modos de fazer política: entre a política das imagens e a política das instituições


Luiz Carlos Bizerril – produtor, coordenador da rede audiovisual do Ceará
Duarte Dias – realizador, presidente da ACCV/CE
Hugo Pierot - realizador
Victor Furtado - realizador
Mediação: Marcelo Ikeda


De um modo geral, os realizadores jovens têm demonstrado um desencanto com os processos de participação política, apontando para um desagaste dos processos de representação das instituições oficiais. Dizem que sua política é a política das imagens. Mas apenas as imagens conseguirão dar conta da necessidade de engajamento num contexto político mais amplo? A “Carta de Tiradentes”, assinada por jovens realizadores dirigida à Ministra da Cultura, aponta para uma mudança nesse cenário?


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta

[confira outras notícias]