Mostra O NOVO CINEMA BRASILIENSE ::  | Curta o Curta

Mostra O NOVO CINEMA BRASILIENSE

Por Guilherme Whitaker em 02/04/2005 18:05


MOSTRA NOVO CINEMA BRASILIENSE
de 5 a 10 de abril 
Centro Cultural Banco do Brasil (Brasília)



Conhecida nacionalmente por seu festival de cinema brasileiro, Brasília é também um celeiro de novos talentos cinematográficos. Pensando nisso o Centro Cultural Banco do Brasil e os cineastas Gustavo Galvão e Marcelo Díaz organizam a mostra O Novo Cinema Brasiliense, que ficará em cartaz no CCBB de 05 a 10 de abril. No dia 07, a mostra organiza um debate sobre a estética e as perspectivas do nosso cinema com a participação de Mauro Giuntini, Bernardo Bernardes, José Eduardo Belmonte e mediação de Gustavo Galvão. 

Para O Novo Cinema Brasiliense foram selecionados 56 curtas-metragens em vídeo, 16mm ou 35mm que mostram os cineastas brasilienses em ação em filmes lançados de 2000 para cá. É uma safra bem variada que ressalta bem a criatividade do cineasta brasiliense. “Trata-se de um grande painel de divulgação e discussão da produção de curtas metragens”, afirma Gustavo Galvão, um dos curadores da mostra. São olhares documentais, ficcionais, experimentais e animados. Filmes mudos, falados, coloridos e preto e branco mostram a versatilidade de primeira geração de cineastas genuinamente brasiliense. “É uma homenagem a uma geração cuja força é reconhecida no circuito de festivais, além de ser cada vez mais popular junto ao público”, afirma Marcelo Díaz.
O ano 2000 foi um marco na história do cinema produzido na capital federal. 14 curtas-metragens foram lançados, um recorde que alçou Brasília à condição de terceiro maior pólo de produção cinematográfica do País. Entre os curtas produzidos naquele ano que estão em O Novo Cinema Brasiliense destacam-se O Cego Estrangeiro, um filme dirigido por Marcius Barbieri que conta uma história narrada por um cego sem imagens, apenas com legendas, e Sinistro, de René Sampaio, que levou sete prêmios no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro daquele ano. 2001 foi um ano com menor número de produções, mas alguns filmes merecem destaque, como a ficção futurista O Jardineiro do Tempo, de Mauro Giuntini. 

Em 2002, os estreantes Elvis Kleber e Ítalo Cajueiro surpreenderam muita gente ao lançar O Lobisomem e o Coronel, animação bem-humorada que foi o primeiro curta brasileiro premiado no Anima Mundi. Também são desse ano os dois curtas mais recentes de José Eduardo Belmonte, Dez Dias Felizes e Um Trailer Americano. Do ano de 2003 foram selecionados 15 curtas e três vídeos, entre os quais Momento Trágico, de Cibele Amaral e Um último dia, de Nara Riela. 

Os curtas mais recentes de O Novo Cinema Brasiliense são os 14 selecionados entre os produzidos em 2004, um ano em que mais recordes foram batidos e em que muita gente se arriscou em seu primeiro filme, casos de Bruno Torres (Superfície) e Guilherme Campos (Seqüestramos Augusto César), entre tantos outros. Destaque, ainda, para a produção de filmes experimentais (Superfície, Sobre Quando Não se Tem Nada a Dizer, Danae e Entre Um). Já Extrusos discute a inclusão social e o abandono familiar com elenco totalmente formado por atores negros.


A Mostra NOVO CINEMA BRASILIENSE será entre os dias A mostra apresentará um panorama de 56 filmes da nova safra de curtas-metragens que surgiram entre 2000 e 2004. O evento contará ainda com debate a cerca da Estética e das Perspectivas do Cinema Brasiliense na quinta-feira dia 7 de abril, contribuindo para a discussão em torno dos rumos da nossa cinematografia.

Programação

Programa 1
- Quinta-feira - 07/04 - 17h
- Sábado – 09/04 - 19h
Roleiros (Guilherme Bacalhao, vídeo, 15 min., 2003)
Flor de Obsessão (Cibele Amaral, 35mm, 9 min., 2000)
O Perfumado (Mauro Giuntini, 35mm, 15 min., 2002)
A Moça que Dançou Depois de Morta (Ítalo Cajueiro, 35mm, 11 min., 2003)
Dez Dias Felizes (José Eduardo Belmonte, 35mm, 21 min., 2002)
Total: 71 min.

Programa 2
- Terça-feira – 05/04 - 19h
- Sexta-feira – 08/04 - 21h
de esperança e espera (Marcelo Díaz, vídeo, 21 min., 2003)
Cá e Lá (Aurélio Aragão, exibição em vídeo, 11 min., 2000)
Reality Show (Felipe Figueiredo, 16mm, 1 min., 2003)
Maria Morango (Érico Cazarré, 16mm, 12 min., 2004)
Faça o Bem Sem Olhar a Quem! (Renato Cunha, 16mm, 8 min., 2003)
Filme Triste (Denise Moraes,16mm, 3 min., 2004)
Fobia (Thiago Moysés, 16mm, 10 min., 2003)
Total: 66 min.

Programa 3

- Terça-feira – 05/04 - 21h
- Sexta-feira – 08/04 - 19h
Pico!? (Leonardo Mendonça, vídeo, 20 min., 2003)
Suco de Beterraba (Marcelo Díaz, 35mm, 15 min., 2000)
Quem É? (Dirceu Lustosa, 35mm, 5 min., 2003)
Um Trailer Americano (José Eduardo Belmonte, 35mm, 21 min., 2002)
O Lobisomem e o Coronel (Elvis Kleber e Ítalo Cajueiro, 35mm, 10 min., 2002)
Total: 71 min.


Programa 4
- Quarta-feira – 06/04 - 17h
- Domingo – 10/04 - 19h
100 Anos de Perdão (William Allves, 16mm, 7 min., 2000)
Rastro (R.C. Ballerini, 16mm, 6 min., 2002)
Só Sofia (Adriana Vasconcelos, 16mm, 8 min., 2004)
Bumba (Roberto Robalinho, 16mm, 9 min., 2000)
Suicídio Cidadão (Iberê Carvalho, 16mm, 13 min., 2003)
Reencontro (Eduardo Sodré, 16mm, 10 min., 2000)
A Dança da Espera (André Carvalheira, 16mm, 11 min., 2000)
Total: 64 min.

Programa 5
- Quarta-feira – 06/04 - 19h
- Domingo – 10/04 - 15h
Sinistro (René Sampaio, 35mm, 17 min., 2000)
Um Pingado e Um Pão com Manteiga (Denise Moraes, 35mm, 8 min., 2003)
O Dente Podre do Lavador de Pratos (Denílson Félix, 35mm, 14 min., 2000)
Emma na Tempestade (Gustavo Galvão, 35mm, 15 min., 2002)
Jardineiro do Tempo (Mauro Giuntini, 35mm, 18 min., 2001)
Total: 72 min.

Programa 6
- Quarta-feira – 06/04 - 21h
- Sábado – 09/04 - 15h
Sexo Virtual Tátil (Marcius Barbieri, exibição em vídeo, 7 min., 2003)
Pra Onde (Aurélio Aragão, 16mm, 16 min., 2002)
Instante (André Carvalheira, 16mm, 7 min., 2000)
Contraponto e Fuga (R.C. Ballerini, 16mm, 6 min., 2001)
Seqüestramos Augusto César (Guilherme Campos, 16mm, 21 min., 2004)
Um Último Dia (Nara Riella, 16mm, 9 min., 2003)
Total: 66 min.

Programa 7
- Quinta-feira – 07/04 - 19h
- Sábado – 09/04 - 17h
Afeto (Dirceu Lustosa, exibição em vídeo, 8 min., 2001)
Toda Brisa (André Carvalheira, 35mm, 7 min., 2003)
O Cego Estrangeiro (Marcius Barbieri, 35mm, 6 min., 2000)
Metamorfose (Ana Cristina Costa e Silva, 35mm, 17 min., 2002)
Momento Trágico (Cibele Amaral, 35mm, 15 min., 2003)
Teodoro Freire, O Guardião do Rito (William Allves e Nôga Ribeiro, 35mm, 18 min., 2003)
Total: 71 min.

Programa 8
- Sexta-feira – 08/04 - 17h
- Domingo – 10/04 - 17h
brasiliApé (R.C. Ballerini, exibição em vídeo, 11 min., 2003)
As Incríveis Bolinhas do Dr. Sorriso Sarcástico (Gustavo Galvão, 16mm, 9 min., 2003)
Flor Madrugada (Nôga Ribeiro, 16mm, 5 min., 2000)
Extrusos (Marcelo Díaz, 16mm, 14 min., 2004)
O Rival (Sergio Raposo, 16mm, 5 min., 2003)
Da utilidade dos animais (Betânia Victor Veiga, 16mm, 9 min., 2004)
Prisões (Bernardo Bernardes, 16mm, 11 min., 2001)
Total: 64 min.

Especial 1
- Sessão única, sábado – 09/04 - 21h
Sobre Quando não se tem Nada a Dizer (Cássio Pereira, 35mm, 14 min., 2004)
O Último Raio de Sol (Bruno Torres, 35mm, 21 min., 2004)
Danae (Gustavo Galvão, 35mm, 9 min., 2004)
Papá (Santiago Dellape e Guilherme Campos, 35mm, 19 min., 2004)
Total: 63 min.

Especial 2
- Sessão única, domingo – 10/04 - 21h
Entre Um (Marcius Barbieri, exibição em vídeo, 4 min., 2004)
Diário Vigiado (Luís Augusto Jungmann Girafa, 35mm, 12 min., 2004)
Superfície (Jimi Figueiredo, 35mm, 6 min., 2004)
Viva Cassiano (Bernardo Bernardes, 35mm, 34 min., 2004)
Total: 56 min.

Debate: Estética e perspectivas do cinema brasiliense
- Quinta-feira – 07/04 - 20h30
Debate com a presença dos cineastas José Eduardo Belmonte, Mauro Giuntini e Bernardo Bernardes. Mediação do cineasta Gustavo Galvão 


MOSTRA NOVO CINEMA BRASILIENSE
Idealização e curadoria: Marcelo Díaz e Gustavo Galvão 

Maiores informações através do email: mrdiaz@uol.com.br


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta




[confira outras notícias]