Oficinas Kinoarte: três curtas selecionados para o 23o Curta Kinoforum ::  | Curta o Curta

Oficinas Kinoarte: três curtas selecionados para o 23o Curta Kinoforum

Por Guilherme Whitaker em 14/08/2012 10:58


Meia Noite Meia”, “Sartre no Jogo, Pelé no Amor” e “Venha Ver o Pôr-do-Sol” irão participar da Seção KinoOikos – Formação do Olhar, do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, em agosto

Três filmes produzidos pelas Oficinas Kinoarte foram selecionados para o 23o Curta Kinoforum – Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, o mais importante festival do gênero na América Latina. “Meia Noite Meia”, “Sartre no Jogo, Pelé no Amor” e “Venha Ver o Pôr-do-Sol” foram produzidos a partir de Oficinas Práticas de Curta-Metragem promovidas pela Kinoarte em Marília, Araraquara e Londrina, entre maio de 2011 e março de 2012. A exibição dos curtas contará com entrada franca e será entre 23 e 31 de agosto em diversas salas da capital paulista.

“Meia Noite Meia” foi rodado em Marília (SP) ao longo de 10 dias em maio do ano passado por uma turma formada por 30 alunos. A Oficina foi promovida pela 4a Mostra Marília de Cinema e ministrada por cinco professores: Bruno Gehring (produção), Guilherme Gerais (direção de fotografia), Henrique Ventorin (montagem), Rodrigo Grota (direção e roteiro) e Thalita Rubio (direção de arte). O curta de 14 minutos, rodado em duas madrugadas, mostra três jovens querendo partir de sua cidade no último trem antes do amanhecer. Estrelado por Júlia Bastos, Lucas Zanata e Neto Souza, o filme estreou no dia 22 de maio de 2011 na sessão de encerramento da 4a Mostra Marília de Cinema, no Cine Esmeralda. Em outubro participou da 1a Mostra de Curtas da Unesp, em Marília, e em dezembro integrou a sessão Oficinas Kinoarte da 13a Mostra Londrina de Cinema, nos Cinemas Lumiere.

“Sartre no Jogo, Pelé no Amor” parte de uma premissa histórica para registrar o suposto encontro entre dois mitos – o filósofo francês Jean-Paul Sartre o maior jogador de todos os tempos, Pelé. O encontro teria ocorrido a 4 de setembro de 1960 na recém inagurada Faculdade de Filosofia de Araraquara, no interior paulista. No mesmo dia em que Sartre ministrou uma palestra na cidade, a Ferroviária, principal time local, batia o Santos de Pelé por improváveis 4 a 0. O curta de 11 minutos foi rodado em três fins de semana por cerca de 20 alunos em uma Oficina promovida pela Kinoarte a convite do Sesc Araraquara em julho de 2011 – o curso foi ministrado por quatro professores: Bruno Gehring (produção), Felipe Augusto (direção de arte), Guilherme Gerais (direção de fotografia) e Rodrigo Grota (direção, roteiro e montagem). A estreia local ocorreu em agosto de 2011 em sessões no Sesc Araraquara e em dezembro do ano passado o curta integrou a sessão Oficinas Kinoarte da 13a Mostra Londrina de Cinema, nos Cinemas Lumiere.

“Venha Ver o Pôr-do-Sol” mostra as desventuras de um antigo casal que se reencontra para um passeio fúnebre. Inspirado no conto homônimo de Lygia Fagundes Telles, o filme foi rodado em três fins de semana em Londrina e Rolândia, em março desse ano, por cerca de 30 alunos. A estreia ocorreu no dia 3 de maio em uma sessão especial do projeto Kinoarte Mostra Curtas, no Bar Valentino, em Londrina. Estrelado por Guilherme Kirccheim e Mayara Dioniso, o filme conta com trilha sonora original de Eduardo Lopes Touché, e cartaz de Arthur Duarte e Katy Kakubo. A Oficina Prática de Curta-Metragem foi ministrada por Bruno Gehring (produção), Felipe Augusto (direção de arte e projeto gráfico), Guilherme Gerais (direção de fotografia e finalização) e Rodrigo Grota (direção, roteiro e montagem). A próxima exibição do filme em Londrina será na sessão Oficinas Kinoarte da 14a Mostra Londrina de Cinema, de 21 a 27 de setembro. Em dezembro o filme integrará essa sessão na 5a Mostra Marília de Cinema, no interior paulista.

O projeto Oficinas Kinoarte teve início em 2005 – em sete anos foram produzidos 16 curtas a partir de Oficinas Práticas de Curta-Metragem em variadas cidades e regiões do País – Aracaju (SE), Araraquara (SP), Cornélio Procópio (PR), Jaú (SP), Lapa (PR), Londrina (PR) e Marília (SP). Essa é a quinta vez que um curta produzido por uma Oficina da Kinoarte é selecionado para o Curta Kinoforum – em 2007, “Morre um Nome” mostrava a passagem do músico de jazz Booker Pittman por Cornélio Procópio; em 2008, o curta de terror “Fim da Linha” explorava o cinema de gênero na cidade histórica da Lapa; em 2010, o curta “Os Olhos não têm Cerca” apresentava um dia especial na vida de três meninos que queriam conhecer de perto a musa Leila Diniz; em 2011 a relação entre um pescador e sua filha foi tema do curta “Do Outro Lado do Rio”, que saiu premiado do festival com o Prêmio de Aquisição do Sesc TV. O filme “Os Olhos não têm Cerca” está disponível em DVD lançado pelo projeto Programadora Brasil, do Ministério da Cultura.

As Oficinas Kinoarte têm como objetivo principal estimular a produção de filmes em cidades que ainda não contam com um núcleo sólido de produção. A Oficina Prática de Curta-Metragem é ministrada por um grupo que varia de 3 a 5 professores, de 20 a 30 alunos, e dura de uma a duas semanas. A próxima edição das Oficinas Kinoarte deve ocorrer em Londrina no 2o semestre desse ano. Mais informações pelo telefone (43) 3037 8886, pelo site kinoarte.org, ou pelo endereço eletrônico kinoarte@gmail.com.

Fonte: Mostra Marília de Cinema


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta

[confira outras notícias]