Rolando em Brasília a mostra de cinema +legal do Brasil, a MFL!!! ::  | Curta o Curta

Rolando em Brasília a mostra de cinema +legal do Brasil, a MFL!!!

Por Guilherme Whitaker em 11/03/2018 15:36


A 17a. edição da Mostra do Filme Livre passou pelos CCBBs do Rio de Janeiro e de São Paulo, superando os 10.000 espectadores, e dia 24-04 começou sua maratona em Brasília, até 20 de maio. . 

O site Curta o Curta é parceiro da MFL desde sua primeira edição, em 2002, quando inclusive a MFL nem site tinha e nos usou, com todo o prazer, para receber as inscrições de filmes. De lá para cá muita coisa mudou, e a MFL se tornou não só a maior mostra de cinema independente mas a maior mosta de cinema do Brasil, exibindo mais de 200 filmes em várias capitais. 

Mais da MFL em www.mostralivre.com



Mostra do Filme Livre chega à sua 17ª edição como a maior mostra de cinema brasileiro, exibindo a nata da produção independente, com homenagem a Olívio Tavares de Araújo e curso Cinema e Memória com Hernani Heffner

Mostra será realizada com entrada franca nos Centros Culturais Banco do Brasil do Rio de Janeiro (21/03 a 15/04), São Paulo (22/03 a 16/04) e Brasília (24/04 a 20/05)

www.mostralivre.com

Maior evento de cinema do Brasil, a Mostra do Filme Livre (MFL) chega a sua 17ª edição. Conhecida por evidenciar a produção independente - filmes feitos sem verbas públicas ou sem grandes patrocínios, e de viés mais autoral, é também pioneira na exibição de filmes de diferentes formatos, gêneros, durações e épocas. Em 2018, exibe 200 filmes de todo o Brasil. O homenageado desta edição será o crítico e cineasta paulistano Olívio Tavares de Araújo, com a exibição de quatro de seus filmes e debate nas três cidades. A mostra terá entrada gratuita e realizará, além de diversos debates, o curso Cinema e Memória com o pesquisador Hernani Heffner (MAM-RJ) nos três CCBBs. No Rio de Janeiro a MFL acontecerá de 21 de março a 15 de abril, no Centro Cultural Banco do Brasil.

A curadoria da mostra, formada por Gabriel Sanna, Diego Franco, Scheilla Franca e Guilherme Whitaker, trabalhou ininterruptamente por três meses na escolha dos filmes para que a mostra garanta a qualidade das edições anteriores. “Nos últimos anos a MFL tem sido uma grande vitrine do cinema brasileiro. E que bom que o foco desta mostra seja os filmes independentes, não comerciais, deixando evidente a potência de nosso cinema livre, autoral, possível de ser feito sem o uso de verbas públicas. Muitos dos filmes que passamos são urgentes, tanto no seu fazer quanto no seu mostrar. Para estes filmes é que nascemos e seguimos na luta por mais espaço, para que eles sejam vistos por um número cada vez maior de pessoas”, comenta Guilherme Whitaker, também criador e organizador do evento.

Guiwhi, como também é chamado, enfatiza que a mostra busca, a cada ano, exibir o que de mais instigante e original é produzido audiovisualmente no Brasil. “Se hoje tais filmes conseguem chegar a mais gente, com certeza tivemos participação nesta conquista de reconhecimento e valorização. A MFL é feita com recursos públicos, via lei Rouanet, ou seja, é o Estado ajudando a difundir filmes produzidos sem a sua ajuda, que são exibidos de forma gratuita, como sempre defendemos que devem ser todos os eventos feitos com verba pública.”

A mostra tem o patrocínio do Banco do Brasil desde sua primeira edição, em 2002, onde esteve por uma semana no CCBB RJ. “É com enorme satisfação que apresentamos mais uma Mostra do Filme Livre, que começou há 17 anos nesse CCBB. Ao longo de todos esses anos de realização, o evento ganhou força e se tornou um grande difusor do cinema independente nacional. Estamos convictos da importância de apoiar produções marcadas pela multiplicidade de olhares e perspectivas“, diz Marcelo Fernandes, Gerente Geral do CCBB Rio de Janeiro. 


Homenagem a Olívio Tavares de Araújo

A MFL homenageará o crítico e cineasta Olívio Tavares de Araújo com a entrega do troféu Filme Livre! e com exibições dos filmes “Farnese” (1971), “Brennand e o Sentimento Trágico do Mundo” (1998), “O Olhar Triste” (1994-1995) e “Omissão de Socorro” (2001-2007). Olívio realizou mais de trinta curtas-metragens, boa parte sobre o processo criativo de artistas plásticos brasileiros. Além de intensa atividade como crítico e ensaísta convidado de vários jornais e revistas, no Brasil e no Exterior, tem atuado como curador de mostras de arte, entre elas duas sobre o pintor Alfredo Volpi. É autor de Imitação, Realidade e Mimese (Imprensa da UFMG, 1963), Thomaz (Grifo, 1980), Volpi: a Construção da Catedral (MAM-SP, 1981) e Dois Estudos sobre Volpi (Funarte, 1986). O realizador participará de debate sobre sua obra nas três cidades. (ver programação em www.mostralivre.com ) 

Curso Cinema e Memória

Todos os anos a MFL colabora com a formação de novos realizadores. Nesta edição, o pesquisador Hernani Heffner (MAM-RJ) ministrará o curso Cinema e Memória nas três cidades: RJ, SP e DF. A participação será gratuita e as inscrições serão realizadas pelo site da mostra em www.mostralivre.com, onde também é possível ver as datas do curso em cada cidade. 

Hernani é pesquisador, graduado em Comunicação Social – Cinema pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Ingressou na Cinemateca do MAM-RJ em 1996, passando pela Curadoria de Documentação e Pesquisa e assumindo em 1999, o cargo de Conservador-Chefe do Arquivo de Filmes. 

Além das sessões e debates nos CCBBs, a MFL também organiza, de forma independente (sem patrocínios), desde 2005, a maior ação cineclubista do Brasil: os Cineclubes Livres, que em 2017 aconteceu em mais de 70 cidades. A meta este ano é chegar a 100 cidades e 5 mil pessoas de público total nesta ação. 


Números das inscrições e seleção da MFL 2018 

- Este ano a média se manteve, foram 1.140 filmes inscritos, sendo que apenas 186 (16%) tiveram apoio de editais e/ou leis de incentivo. No total, foram selecionados 140 filmes e outros 60 foram convidados.

- Dos 362 filmes inscritos feitos por estudantes, 30 foram selecionados. Dos 200 selecionados/convidados, apenas 32 filmes tiveram apoio de editais e/ou leis de incentivo. 

- Inscritos/Selecionados e Convidados por UF: 

RJ=370/62, SP=226/41, MG=119/23, PE=77/8, BA=50/9, GO=43/6, RS=35/5, DF=33/5, SC=30/6, CE=30/6, PR=30/2, PB=14/2, ES=9/3, RN=3/1, PA=21, AL=14, AM=8, MT=7, SE=6, MS=6, MA=5, RO=3, AC=2, RR=1, PI=1, AP=1, TO=1.


Premiação 

Este ano a premiação terá três recortes: a Sessão Caminhos, com filmes de estudantes, terá como júri o coletivo ELVIRAS (coletivo de mulheres que escrevem críticas cinematográficas e produzem reflexão teórica sobre audiovisual), e os Panoramas Livres, onde estão os principais curtas, terá como júri a ACCRJ (Associação de Críticos de Cinema do RJ). O prêmio será o serviço de audiodescrição (para cegos) e legendagem descritiva (para surdos), oferecidos pela CONECTA Acessibilidade, valor estimado de R$5.000,00 por prêmio. O CTAV, Centro Técnico Audiovisual, também vai oferecer, aos curtas premiados, o empréstimo por 1 semana da câmera SI-2KOs, valor estimado de R$5.000,00 por dia. O dois filmes premiados passarão durante o evento em sessão especial para deficientes visuais e auditivos. E tambem passarão na sessão de encerramento no RJ, com a direção do filme sendo convidada a vir ao RJ receber o troféu Filme LIvre! e seus prêmios.

A terceira premiação terá júri do Cine Festivais e será dada para o destaque da sessão Longa Livre. Além do troféu o filme ganhará do CTAV, 20 horas de serviço de mixagem nos estúdios CTAV, com mixador, valor estimado de R$8.000,00


Sessão por sessão

6 sessões Panoramas Livres = COMPETITIVA – exibição dos 28 principais curtas (juri no RJ da ACCRJ - Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro) 

2 sessões Caminhos = COMPETITIVA – exibição de 7 filmes de estudantes (juri: Coletivo Elviras)

7 sessões Longas Livres = COMPETITIVA - exibição dos principais longas (juri: CIne Festivais)

Homenagem a Olivio Tavares de Araújo = exibição de curtas e debate nas três cidades com o realizador paulista Olivio Tavares de Araújo. 

Destaque Marcus Curvelo = exibição dos filmes do cineasta baiano, com debate nas três cidades

Destaque Renato Coelho, Priscyla Bettim e Atos da Mooca = exibição dos filmes da dupla Renato Coelho e Priscyla Bettim e do coletivo paulista, com debate no RJ e SP

9 sessões Autorias = exibição dos filmes de realizadores que já participaram da MFL

4 sessões Questão de Gêneros = exibição dos filmes de terror e ficção-científica, com debate no RJ

Especial Tantão = exibição dos filmes sobre o artista carioca multimídia Tantão

14 Cabines Livres = exibição dos videoartes e filmes não-narrativos passando em loop

5 sessões Territórios = exibição dos filmes sobre questões relativas ao uso da terra, urbanidades e migrações

Mundo Livre = exibição dos filmes feitos fora do Brasil por brasileiros

Pílulas = exibição dos 19 filmes com até 5 minutos

Biografemas = exibição dos filmes com ou sobre outros artistas

Especial Caramujo = exibição dos filmes do ator carioca falecido em 2017, ligado ao coletivo CGB, Cinema Guerrilha da Baixada.

Especial Chorume = exibição dos filmes do coletivo carioca, seguido de debate (somente no RJ)

Especial Luiz Giban = exibição dos filmes montados e realizados por Luiz Giban (em memória) 

Especial Híbridos = exibição do filme Híbridos – Os espíritos do Brasil,  com debate nas três cidades do filme, mais em http://hibridos.cc/ 

Especial Jorge Mourão = exibição dos curtas do cineasta carioca (APENAS RJ)

Coisas nossas = exibição dos filmes feitos pela produção e curadoria da MFL (destaque para o novo curta de Christian Caselli e o novo trabalho de Gabriel Sanna, com Caetano Veloso). 

Curta o Curta – Curtas convidados pelo site parceiro da MFL, Curta o Curta (APENAS RJ)


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta



[confira outras notícias]