Seleção do CEN 2011 ::  | Curta o Curta

Seleção do CEN 2011

Por Guilherme Whitaker em 24/03/2011 11:04


Ø Sétima edição do CEN terá 12 longas, incluindo três trabalhos inéditos em festivais, selecionados entre 82 filmes inscritos para seleção

 

Ø Mostra de 27 curtas e médias-metragens em competição
reúne obras audiovisuais de todos os gêneros

 

Ø Programação completa do festival traz várias outras atividades que colocam em questão a imagem contemporânea

 

O CineEsquemaNovo 2011 – Festival de Cinema de Porto Alegre (CEN) realiza sua sétima edição entre os dias 23 e 30 de abril com a maior mostra competitiva de longas-metragens programada até hoje: serão 12 filmes, incluindo três trabalhos inéditos em festivais e outros premiados em encontros no Brasil e no exterior (veja a relação). Completam a programação competitiva deste ano 27 curtas e médias-metragens, vindos de todos os gêneros audiovisuais e de todas as regiões brasileiras, em um panorama do melhor da produção independente contemporânea do País. As obras foram selecionadas a partir de um total de 82 longas e 827 curtas e médias inscritos através do envio de DVDs ou de links para assistência pela internet.

O CEN é um dos encontros de maior reputação do calendário nacional de festivais de cinema no decorrer da última década, graças às sucessivas inovações introduzidas no circuito ao longo dos anos - como, por exemplo, os debates de diretores abertos ao público, imediatamente após as sessões; a derrubada das premiações por formatos e suportes; e a seleção, exibição e premiação dos filmes sem distinção de gênero. Em 2011, o CineEsquemaNovo mantém a proposta que o acompanha desde a sua primeira edição: o incentivo permanente à criatividade e à autoria na produção audiovisual independente contemporânea brasileira. Esta missão acontece por meio da valorização de quatro princípios essenciais: a criatividade, a inovação, a surpresa e a experimentação na pesquisa de linguagem audiovisual.

A consolidação deste caminho contribuiu para transformar o CineEsquemaNovo em um encontro de obras e realizadores de todo o País que extrapolam as ideias de “cinema” ou “artes visuais”. Porto Alegre torna-se, a cada edição, um ponto de encontro de quem acredita e produz imagens através de caminhos alheios aos processos industriais de criação audiovisual. A semana do CEN é hoje um momento que reúne parte significativa da comunidade brasileira de realizadores independentes, sejam eles vindos de salas de cinema ou galerias de arte; de cineclubes ou fóruns online; de autorias solitárias ou coletivos criativos; e de artesanatos analógicos ou interfaces tecnológicas.


Sobre a seleção

Os trabalhos selecionados pelos sócios-curadores do CineEsquemaNovo (Alisson Avila, Gustavo Spolidoro, Jaqueline Beltrame, Morgana Rissinger e Ramiro Azevedo, atualmente espalhados pelas cidades de Porto Alegre, São Paulo, Belo Horizonte e Lisboa) refletem um momento bastante particular do cinema independente brasileiro. Este é um cinema de proposta aberta e que traz muito mais perguntas do que respostas, inquieto e ensaístico em sua essência. São obras que indagam e questionam a si próprias, os seus anseios, objetivos e razões de ser - e que, ao não se preocuparem com amarras formais narrativas, ou formatos de captação e finalização, guardam um frescor que traz consigo um necessário sabor de insubordinação. A opção por manter um júri de seleção fixo garante a identidade e unidade da proposta estética do CEN, ao mesmo tempo em que proporciona uma evolução de valores a cada edição (leia mais sobre o processo de seleção dos filmes no blog do CEN).

Ao direcionar seu olhar a esta produção, o CEN se coloca como um espaço destinado não só à exibição de filmes, mas também – e tão importante quanto – ao pensamento e ao debate sobre assuntos diversos que gravitam em torno de um tema único: o status da imagem na contemporaneidade, assunto colocado em xeque em diversos tipos de manifestações artísticas, algumas delas contempladas pelo festival.

Este “problema” é traduzido pelas mostras competitivas de longas, médias e curtas, que apresentam um cinema híbrido e dotado de fortes intersecções com as artes visuais, mas também pelas outras atividades que compõem a programação do CineEsquemaNovo em sua sétima edição. Entre elas, a videoinstalação do artista mineiro Pablo Lobato, “Expiração 02”, que discute a materialidade da imagem; o Panorama Internacional de Festivais, mostra composta por programas especiais de festivais europeus de cinema, vídeo, artes visuais, media art e cultura digital; e uma exposição imagens em fotografia e vídeo produzidas artistas que confluem ficção e documentário em suas obras.

O CineEsquemaNovo 2011 – Festival de Cinema de Porto Alegre (CEN) acontece de 23 a 30 de abril no Centro Cultural Usina do Gasômetro, Cine Bancários, Cine Santander Cultural e Atelier Subterrânea. Conta com o patrocínio da Oi e da Petrobras, e é financiado pelas leis Federal (Rouanet) e Estadual (LIC-RS) de incentivo à cultura. A co-realização é da Coordenação de Cinema, Video e Fotografia da Secretaria de Cultura – Prefeitura de Porto Alegre, com o apoio cultural da Oi Futuro e Santander Cultural, e apoio do Cine Bancários e Atelier Subterrânea.

 

Filmes selecionados (ordem alfabética)

CURTAS E MÉDIAS-METRAGENS

 

- 1976 - Lugar Sagrado, de Carlosmagno Rodrigues e Alfonso Pafyeze (2010 – 05:35 – MG)

- A Banda dos 7, de Sara Ramo (2010 – 20:00 – MG)

- A Felicidade dos Peixes, de Arthur Lins (2011 – 24:50 – PB)

- A Janela (ou Vesúvio), de João Toledo (2010 – 08:50 – MG)

- As Aventuras de Paulo Bruscky, de Gabriel Mascaro (2010 – 20:00 – PE)

- As Corujas, de Fred Benevides (2009 – 20:30 – CE)

- Balanços e Milkshakes, de Erik Ricco e Fernando Mendes (2010 – 09:55 – MG)

- Cachoeira, de Sérgio José de Andrade (2010 – 13:47 – AM)

- Caos, de Fábio Baldo (2010 – 15:40 – SP)

- Cat Effekt, de Gustavo Jahn e Melissa Dullius (2011 – 40:00 – RU/BR)

- Céu, Inferno e Outras Partes do Corpo, de Rodrigo John (2011 – 07:33 – RS)

- Como é Bonito o Elefante, de Juruna Mallon e Lucas Barbi (2010 – 08:00 – RJ/MG/FR)

- Dia 1 P.M., de Aly Muritiba (2010 – 10:00 – BA)

- Handebol, de Anita Rocha da Silveira (2010 – 19:00 – RJ)

- Mens Sana in Corpore Sano, de Juliano Dornelles (2011 – 21:50 – PE)

- Meu avô, o fagote, de Tatiana Devos Gentile (2010 – 26:00 – RJ)

- My Way, de Camilo Cavalcante (2010 – 06:45 – PE)

- Náufragos, de Gabriela Amaral Almeida e Matheus Rocha (2010 – 15:00 – BA/SP)

- Número Zero, de Cláudia Nunes (2010 – 22:00 – GO)

- O Sarcófago, de Daniel Lisboa (2010 – 19:45 – BA)

- Orawa, de Felipe Barros (2010 – 03:41 – SP)

- Permanências, de Ricardo Alves Júnior (2010 – 34:00 – MG)

- Quatorze, de Leonardo Amaral (2010 – 10:30 – MG)

- Raimundo dos Queijos, de Victor Furtado (2011 – 16:00 – PE)

- Último Retrato, de Abelardo de Carvalho (2010 – 09:00 – RJ)

- Walter, de Pedro Henrique Ferreira (2011 – 24:00 – RJ)

- Wannabe, de Mauricio Ramos Marques (2009 – 20:00 – PR)

 

LONGAS-METRAGENS

- A Alegria, de Felipe Bragança e Marina Meliande (2010 – 100:00 – RJ)

(presente nos festivais de Cannes e Roterdã)

- Álbum de Família, de Wallace Nogueira (2010 – 70:00 – BA)

(inédito)

- Baptista Virou Máquina, de Carlos Dowling (2011 – 60:10 – PB)

(inédito)

- Chantal Akerman, de Cá, de Gustavo Beck e Leonardo Luiz Ferreira (2010 – 62:10 – RJ/SP)

(presente nos festivais FID Marseille, BAFICI e Viennale)

- Desassossego, de Felipe Bragança e Marina Meliande (2011 – 63:00 – RJ/SP)

(presente no festival de Roterdã)

- Ex Isto, de Cao Guimarães (2010 – 86:00 – MG/SP)

- Luz nas Trevas, de Helena Ignez (2010 – 83:00 – SP)

(prêmio da crítica em Locarno)

- Luzeiro Volante, de Tavinho Teixeira (2011 – 65:00 – PB/CE)

(inédito)

- Mulher à Tarde, de Affonso Uchoa (2010 – 82:00 – MG)

(premiado com o Troféu Livre na 10ª Mostra do Fime Livre - 2011)

- O Céu Sobre os Ombros, de Sérgio Borges (2010 – 71:00 – MG)

(melhor filme em Brasília, presente no festival de Roterdã)

- Os Monstros, de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti (2011 – 81:00 – CE)

- Pacific, de Marcelo Pedroso (2009 – 71:00 – PE)

Filmes selecionados (ordem alfabética)

 

 

O júri do CEN 2011

Pela primeira vez, o CineEsquemaNovo terá dois júris, um para a Mostra Competitiva de Longas e outro para a de Mostra Competitiva de Curtas e Médias – a mudança se deveu ao grande número de filmes de longa-metragem inscritos. O júri de longas do CEN 2011 será composto por:

 

Roger Lerina: jornalista, colunista do jornal Zero Hora, crítico de cinema e presidente da Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul;

Júlia Rebouças: curadora assistente do Instituto Inhotim, em Minas Gerais, mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal de Minas Gerais, editora e crítica de arte. É fundadora do portal de arte contemporânea Dois Pontos e membro da Red Conceptualismos del Sur, que reúne pesquisadores da América Latina;

Bruno Vianna: realizador, trabalha com cinema, meios portáteis e instalações. Dirigiu vários curtas e dois longas, “Cafuné” (2006) e “Ressaca”, grande vencedor da edição de 2009 do CEN com sua proposta de montagem-performance ao vivo durante a exibição. Recebeu o prêmio Vida 13.0, da Fundación Telefonica da Espanha e lançou em 2010 o curta Satélite Bolinha, produzido através do programa Rumos Itaú Cultural Cinema e Vídeo.

 

Já o júri de curtas do CineEsquemaNovo terá:

 

Antônio Câmara Manuel: co-fundador da Eira, produtora portuguesa de dança contemporânea, e também produtor de cinema, teatro e televisão. É diretor artístico do festival Temps D’Images desde 2003 e em 2009 passou a responder também pela direção de produção do FUSO – Festival Anual de Vídeo Arte Internacional de Lisboa, único evento dedicado ao gênero realizado na capital portuguesa.

William Hinestrosa: é realizador e pesquisador em audiovisual. Coordena os programas brasileiros do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, organizado pela Associação Cultural Kinoforum, e promoveu entre 1998 e 2002 o Festival de Cinema em Super 8 de São Paulo.

Leo Felipe: é jornalista, escritor e gerente artístico da Fundação Ecarta, onde responde pela curadoria das exposições de arte contemporânea abrigadas pela galeria da fundação. Durante os anos 90 esteve à frente do Garagem Hermética, reduto de cultura underground que abrigou shows históricos em Porto Alegre e apoiou manifestações artísticas diversas, como fanzines, festivais de música e mostras de cinema e vídeo.

 

 

Saiba mais sobre o CineEsquemaNovo 2011

O CineEsquemaNovo – Festival de Cinema de Porto Alegre valoriza diferentes gêneros de filmes e técnicas de realização, sem distinção de formatos de captação ou finalização. Assim, o CEN recebe desde produções realizadas em mídias mais atuais como o celular e as câmeras de vídeo digital e fotografia, até os tradicionais formatos de película de 16mm e 35mm, desde que sejam obras que estimulem a reflexão e a pesquisa de linguagens e dialoguem com os princípios do festival. Em 2011, o CEN traz como novidade a premiação em dinheiro aos vencedores das mostras competitivas de longas (R$ 12.000,00, doze mil reais) e curtas-metragens (R$ 5.000,00, cinco mil reais).

Ao se firmar como um festival que trava diálogo intenso com a atual produção audiovisual independente brasileira, o CEN tem atraído cada vez mais realizadores que se identificam com a proposta de pensar o cinema, o vídeo e as artes visuais contemporâneas em um mesmo ambiente. Em janeiro de 2011, o CineEsquemaNovo esteve representado na 14ª Mostra de Cinema de Tiradentes, em Minas Gerais, onde foi um dos apoiadores da Carta de Tiradentes. O manifesto, assinado por cerca de 100 realizadores, produtores, pesquisadores e críticos brasileiros, tem como objetivo apontar a necessidade de políticas públicas de fomento à produção audiovisual, sobretudo de baixo orçamento (no & low budget).

Nesta sétima edição, o CineEsquemaNovo é patrocinado por duas das principais marcas apoiadoras da cultura no Brasil, a Oi e Petrobras. A diretora de Cultura da Oi Futuro, Maria Arlete Gonçalves, diz que “todos que acompanharam o desenvolvimento do cinema nacional nas últimas décadas sabem a importância que o Rio Grande do Sul teve e tem neste processo. Seja na produção de conteúdo, seja na oferta de um enorme e qualificado casting de atores, diretores e roteiristas”. É por isso que, segundo Maria Arlete, a Oi reafirma seu compromisso com a cultura brasileira e como fomentadora do cinema, “ao mesmo tempo em que apoia e aplaude a realização deste festival que já se tornou presença obrigatória no calendário do cinema nacional”.

Da parte da Petrobras, o Gestor de Patrocínio, Giuseppe Zani, destaca o investimento feito pela companhia no CineEsquemaNovo desde a sua terceira edição, em 2006. “O projeto já se destacava por uma curadoria diferenciada da sua programação e nesta edição, ao trocar suas datas para abril, também ajuda a corrigir uma distorção no calendário cultural – que, em geral, deixa o primeiro semestre à míngua, concentrando os eventos nos meses finais do ano”.

O festival conta com a co-realização da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, através da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria Municipal de Cultura, e apoio especial do Santander Cultural.

No blog do CineEsquemaNovo estão disponíveis, além das informações do festival, reportagens, textos informativos, notícias e sugestões de leitura sobre assuntos relativos ao universo da produção audiovisual contemporânea.

 

Informações para a imprensa:
BD Divulgação - Bebê Baumgarten, Kellen Hoehr e Gabriela Almeida
(51) 3028.4201 / 8111.8703 / Nextel - 7814.2244 - ID 84*39184
bebebaumgarten@terra.com.br


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta


[confira outras notícias]