Steinberg Wavelab 5 ::  | Curta o Curta

Steinberg Wavelab 5

Por Guilherme Whitaker em 03/08/2005 22:51


Steinberg Wavelab 5

Programas com o Alchemy ou o Sound Designer não tinham paralelo em qualquer outra plataforma. Até que chegou o Windows, e apareceram o Sound Forge… e o Wavelab... 

O Wavelab tem se expandindo ao longo do tempo. Apesar disso, sua interface gráfica sofreu poucas alterações e as janelas principais mantêm-se desde a primeira hora. Mas agora ele adquiriu outras janelas, como a chamada Audio Montage, em que podemos trabalhar vários arquivos de áudio simultaneamente, em diferentes “pistas”, criando assim “montagens” com diversos arquivos. Essa abordagem pode ter sido inspirada no exemplo do já citado Samplitude Master (também denominado Red Roaster), e foi mais tarde seguida também pela Emagic em seu Waveburner. Mas a Steinberg foi quem a levou mais longe, e o Wavelab tem a virtude de ser o programa que tem seguido esse conceito da forma mais integrada e eficaz e durante mais tempo. Essa janela, aliás, também tem evoluído, e sofreu melhoramentos importantes nessa nova versão.
O programa adquiriu ainda efeitos próprios, alguns deles mais ou menos “herdados” do Cubase VST, como o excelente Dynamics, as reverberações ou os efeitos de masterização (versões um pouco aligeiradas de um pacote que a Steinberg comercializava separadamente). A preparação e a gravação de CD foram há muito incluídas no programa, que assim se afirmou mais como um programa dirigido para a masterização, marcando aí pontos em relação a seu concorrente direto (que precisava de outro programa para preparar e gravar os CD).
O Wavelab possuiu também as melhores ferramentas de análise de áudio em tempo real. Essa lista continua a aumentar, e é muito impressionante. Ferramentas como analisador de espectro de 60 bandas, FFT Meter, indicador de volume com diversas calibrações, analisador de imagem estéreo etc. podem fazer a diferença quando preparamos uma masterização final. Certo que nada substitui um bom ouvido, mas é bom ter apoio e saber que ele está lá, à disposição, para verificar nossa percepção ou tirar dúvidas.
Por fim, temos as ferramentas de edição que todo bom editor de áudio deve ter, desde as normais funções de cortar, copiar, misturar ou inserir, passando pelas funções de expansão e compressão de tempo sem alteração da altura ou de transposição sem alteração da duração, e terminando em soberbas ferramentas de criação e edição de loops e rotinas de transferência (importação/exportação) para samplers.

O que há de novo
As grandes novidades dessa edição são o vídeo e o DVD. De fato, o Wavelab já permitia há muito a preparação e gravação de CD de áudio. No entanto, o CD de áudio é uma norma que a indústria pretende ver substituída por outras, consideradas superiores, como o Super Audio CD ou o DVD-áudio (curiosamente, o mercado parece movimentar-se na direção contrária, ao consumir preferencialmente MP3, AAC ou outros formatos similares – o que, depois da guerra absurda movida ao CD por não ter qualidade “suficiente”, não deixa de ser irônico). A norma DVD Audio teve um parto difícil (foi a última a ser definida pelo consórcio), mas está em vias de consolidação. O Wavelab, como é atributo da Steinberg, pretende estar sempre na primeira linha da inovação, e a Steinberg decidiu introduzir nessa nova versão diversas ferramentas de criação e authoring de DVD-áudio, incluindo texto, criação de menus gráficos, slideshows etc. Isso inclui também, como é óbvio, o suporte de áudio de alta resolução (até 32 bit e com freqüências de amostragem de até 384 KHz), sendo o processamento interno realizado em 32 bit de vírgula flutuante. Para completar o “ramalhete” e porque, quando se fala de DVD-áudio se fala, cada vez mais, de surround, a Steinberg inclui nessa nova versão, igualmente, o suporte de formatos surround 5.1 e 7.1. Por outro lado, a janela Audio Montage foi também melhorada para acomodar não só o áudio surround como também integração de vídeo, e o programa pode agora exportar áudio em formatos compatíveis WMA Pro, incluindo os formatos surround 5.1 e 7.1. Além disso, agora, cada região de áudio dessa janela pode conter o próprio processamento em tempo real (à maneira dos Audio Objects do Samplitude) e recebeu uma pista especial dedicada ao vídeo. De maneira geral, a Audio Montage é agora a janela principal do Wavelab, sobretudo em sua vertente de masterização e authoring de CD e DVD (aliás, os projetos podem passar de CD-A a DVD-A e vice-versa de uma forma reversível e não destrutível). Obviamente, a janela de edição de áudio continua a ser onde se processa a edição de áudio destrutiva, e a janela Master Section continua a ser uma janela importante. Um detalhe que pode passar despercebido – mas que, para quem trabalha com uma única tela, é importante – é que os slots de inserção de efeitos na Master Section podem agora ser adicionados ou subtraídos conforme a necessidade. Nas versões anteriores, o numero de slots era fixo (oito), e era somente possível ter todos abertos ou todos fechados. Agora, já é possível ter de um a oito slots abertos, conforme a necessidade. Isso vem facilitar a vida de quem tem uma única tela e precisa de todo o espaço gráfico disponível para ver o que está sendo editado.

O Wavelab 5 é um excelente programa de edição de áudio. A quantidade de funções que foram incluídas é impressionante, e ultrapassam mesmo bastante o próprio áudio (a edição além do áudio – lembram-se?). No entanto, no capítulo do áudio propriamente dito, pudemos observar desde coisas absolutamente fantásticas, como as rotinas de criação e edição de loops ou as extraordinárias funcionalidades da Audio Montage, até lacunas absolutamente inesperadas, como a impossibilidade de usar os plug-ins VST em processamento destrutivo (edição de arquivo off-line) ou o número relativamente reduzido e a qualidade mediana dos plug-ins VST incluídos. Para compensar, temos a possibilidade de criar CD-áudio diretamente a partir do Wavelab, e agora até podemos criar DVD, e o suporte para surround é completíssimo. Por fim, a possibilidade de importar arquivos de vídeo é excelente, e pode fazer do Wavelab o único programa necessário para quem trabalha em edição de bandas sonoras para jogos ou publicidade, desde que não seja necessário compor música, mas simplesmente sonorizar.
www.steinberg.net

Fonte:  www.producaoprofissional.com.br
Postado por: Pedro Lobito  -  www.pedrolobito.com

 
 

Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta


[confira outras notícias]