Todos os curtas selecionados para a 11ª Mostra de Cinema de Tiradentes ::  | Curta o Curta

Todos os curtas selecionados para a 11ª Mostra de Cinema de Tiradentes

Por Guilherme Whitaker em 08/01/2008 06:16


Buscando valorizar tanto propostas mais arriscadas quanto a prática da boa narrativa cinematográfica, a 11ª Mostra de Cinema de Tiradentes divulga sua programação de curtas-metragens que serão exibidos em duas sessões diárias entre os dias 21 e 23 de janeiro, às 19h no Cine-Tenda e às 20h30 no Cine-Praça, distribuídas em seis séries temáticas.

Dos 35 curtas-metragens que serão exibidos, 29 curtas foram selecionados e estão agrupados por aproximações estéticas e temáticas em seis sessões e concorrem ao Troféu Barroco. O conjunto desse ano compõe um breve panorama da multiplicidade de propostas do curta brasileiro. As relações afetivas e seus conflitos serão agrupados na série "A Dois". As experiências e percepções de personagens de pouca idade em suas variadas formas de lidar com a vida estão reunidas na série "No Princípio". As crises de percepção e com o mundo estão em "Curto Circuito". As relações com os espaços urbanos e rurais integram a série "Cidades Possíveis". Os fenômenos vividos pelos corpos são a matéria prima dos filmes que estão na série "De Carne e Osso". Já a série "Personagens e Pessoas" exibirá os curtas nos quais pessoas anônimas são filmadas como personagens extraordinárias. A série Mostrinha de Cinema apresenta 04 curtas-metragens para o público infanto-juvenil.

Haverá ainda uma sessão especial no sábado, 26 de janeiro, com 02 curtas e 02 vídeos reunidos em torno de suas diferentes aproximações com a música, desde a eletrônica na animação Rave Passarim, de Fernando Libânio, até o documentário de entrevista A Maldita, de Tetê Mattos, passando pelo documentário dispositivo (A Beleza é Uma Forma de Oração, de Fernanda Goulart) e a biografia-crônica (Eu Sou Assim – Wilson Matista, de Luiz Guimarães de Castro).

Programação traz filmes selecionados em festivais como Cannes e Clermont-Ferrand

Além de abrir espaço para a surpresa e a descoberta, a programação de curtas da Mostra de Tiradentes trás também filmes selecionados em importantes festivais como Cannes (Saliva , de Esmir Filho, e Um Ramo, de Juliana Rojas e Marco Dutra), Clermont-Ferrand (Trópico das Cabras, de Fernando Coimbra) e Brasília (Décimo Segundo, de Leonardo Lacca, Café com Leite, de Daniel Ribeiro, Sistema Interno, de Carolina Durão, Esconde Esconde, de Álvaro Furloni, e Trópico das Cabras, de Fernando Coimbra).

A curadoria, composta pelos críticos Cléber Eduardo e Eduardo Valente, programou as sessões a partir de possíveis sintonias entre os curtas, mas procurando somar em cada sessão propostas distintas e filmes com linguagens variadas, que estabelecem contatos uns com os outros, sem necessariamente serem irmãos ou aproximáveis a primeira vista. As sessões possuem, segundo Cléber Eduardo, características reconhecíveis como traços das narrativas da contemporaneidade: "Há algumas palavras chaves nesse momento do curta, como colapso de percepção, ambientes, afetos envenenados, anonimato espetacular e percepção infanto-juvenil. Não é apenas isso, mas esses segmentos, levados à tela de maneiras variadas, são bastante evidentes nesse momento”.

Os curadores adotaram como único critério a manifestação de momentos instigantes de um olhar em formação – seja com maior respeito pelos códigos, seja procurando outras formas de organizar as imagens –, independentemente da origem desses diretores e de seus currículos, com a intenção de abarcar as propostas mais fortes da temporada e destacar alguns trabalhos de menor repercussão (ou ainda em início de circulação), que foram considerados dignos de serem vistos e discutidos pelas opções de cinema realizadas.

Um debate no dia 23 de janeiro, quarta-feira, com os curadores da Mostra, tematizará as principais questões estéticas do curta e do vídeo no momento, levando em conta o conjunto de filmes exibidos na programação.

Abaixo, a lista completa dos curtas-metragens selecionados para a 11a Mostra de Tiradentes:

• 7 Minutos, de Julio Pecly, Paulo Silva e Cavi Borges (RJ)
• A Cidade e o Poeta, de Luelâne Correa (RJ)
• A Psicose de Valter, de Eduardo Kishimoto (SP)
• Alphaville 2007 DC, de Paulo Caruso (SP)
• Antes que Seja Tarde, de André Queiroz (SP)
• Antonio Pode, de Ivan Morales Jr. (SP)
• Areia, de Caetano Gotardo (SP)
• Cabaceiras, de Ana Bárbara Ramos (PB)
• Café com Leite, de Daniel Ribeiro (SP)
• Câmera Viajante, de Joe Pimentel (CE)
• Corpo Presente Beatriz, de Marcelo Toledo e Paulo Gregori (SP)
• De Resto, de Daniel Chaia (SP)
• Décimo Segundo, de Leonardo Lacca (PE)
• Dia de Visita, de André Luiz Cunha (DF)
• Esconde Esconde, de Álvaro Furloni (RJ)
• Espalhadas pelo Ar, de Vera Egito (SP)
• No Rastro do Camaleão, de Eric Laurence (PE)
• O Lobinho Nunca Mente, de Ian SBF (RJ)
• Ocidente, de Leonardo Sette (PE)
• Outubro, de Murilo Hauser (PR)
• Pipa, de Leonardo Bello (SP)
• Saindo de Casa, de Roberta Arantes (RJ)
• Saliva, de Esmir Filho (SP)
• Sentinela, de Afonso Nunes (MG)
• Sistema Interno, de Carolina Durão (RJ)
• Trópico das Cabras, de Fernando Coimbra (SP)
• Um Ramo, de Juliana Rojas e Marco Dutra (SP)
• Um Ridículo em Amsterdã, de Diego Gozze (SP)
• Vida Fuleira – O Artista de Rua e a Bailarina, de André Sampaio (CE)

Curtas – Série Mostrinha de Cinema

• Albertinho, de alunos da rede pública de Vitória (ES)
• Galinha ao Molho Pardo, de Feliciano Coelho (MG)
• Por causa do Papai Noel, de Mara Salla(SC)
• Icarus, de Victor Hugo Borges(SP)

Curtas – Série Sonoridades Diversas

• A Maldita, de Tetê Mattos (RJ)
• Eu sou assim – Wilson Batista, de Luiz Guimarães de Castro (RJ)


SELEÇÃO DE VÍDEOS
Mostra Tiradentes divulga vídeos selecionados e reafirma a produção como espaço das experimentações

Com a proliferação e democratização do fazer cinematográfico proporcionadas pela tecnologia digital, a produção em vídeo tem se revelado o espaço ideal para experimentações, tanto de jovens realizadores quanto de vídeo-artistas já consolidados. Fiel a seu espírito de incentivar e valorizar a produção que busca novos olhares sobre o audiovisual, a Mostra de Cinema de Tiradentes divulga a lista de vídeos selecionados que irão compor a programação de sua 11a edição, que ocorrerá de 18 a 26 de janeiro de 2008.

“Adeptos ou não de “gêneros” já consagrados no vídeo (o ready-made duchampiano e suas variações, vídeo-colagens, vídeo-performances, documentários sobre personagens pitorescos ou culturas regionais, imagens caseiras), muitos trabalhos surpreenderam com a hipótese de um aprofundamento conceitual da forma-vídeo. E mesmo nos trabalhos que pareciam buscar no vídeo menos um suporte (com tudo que isso implica, técnica e esteticamente) do que um atalho, os resultados por vezes surpreendiam, mostrando que o vídeo é cada vez mais uma ferramenta de múltiplas possibilidades”, afirma Luiz Carlos Oliveira Jr, um dos curadores da comissão de seleção de vídeo da Mostra de Tiradentes, juntamente com Beth Miranda, Rafael Ciccarini e Cléber Eduardo.

Ao todo serão exibidos 51 vídeos, dos quais 40 foram selecionados entre mais de 430 obras inscritas e concorrem ao Troféu Barroco. As exibições acontecem em 07 sessões diárias, entre 19 e 25 de janeiro, sempre no Cine-Tenda. Completando a programação em vídeo da Mostra, 09 videos foram selecionados para a Mostrinha de Cinema – programação destinada ao público infanto-juvenil – e outros 02 vídeos compõem, juntamente com 02 curtas, a programação da sessão especial “Sonoridades diversas”.

Os vídeos foram agrupados segundo aproximações estéticas e temáticas. Na série “No Fio da Navalha”, a vida urbana em suas urgências e extremos: pertencimento e a (im)possibilidade do afeto no limite da sobrevivência. A série “Mediações” trás o cinema referindo-se a si próprio: a memória-vídeo, a imagem guardada como arquivo pessoal prolongando-se na imagem presente, o vídeo fazendo a mediação entre o passado e o presente. Já a série “Percepção Aberta” reúne vídeos de trajetórias e significações: experiências com a poesia, animação, provocações visuais e conceituais. “Espaços Públicos” apresenta vídeos baseados na relação câmera/espaço público como intervenção criadora ou como descoberta constante e renovação do olhar. Em “Efeitos do Contemporâneo”, os vídeos apresentam as relações entre um passado idealizado e os efeitos e sintomas do mundo contemporâneo, indo da nostalgia ao pastiche. A série “Achados e Perdidos” contêm trabalhos que praticam o que podemos chamar de uma “vigilância afetiva”: um olhar aparentemente neutro e passivo que se revela, mais profundamente, movido por uma rede de afetos, sentimentos, instantes privilegiados e solidões partilhadas. E, por último, a série “No e Com os Lugares” apresenta o espaço como mediador e/ou protagonista, em vídeos onde a relação entre as coisas e pessoas e os espaços nas quais são inseridas é central – seja ela marcada pelo deslumbre, assombro, ternura, paranóia ou poesia.

“A programação das sessões rejeitou afinidades temáticas simplórias e todos aqueles outros lugares comuns de mesa de debate (documentários de cunho social em um bloco, vídeos experimentais em outro e assim por diante). As sessões privilegiam o pensamento, ou seja, o que cada conjunto de vídeos nos leva a pensar (quais olhares sobre o mundo estão em jogo, qual sensibilidade em relação ao tempo e às coisas, qual o grau de consciência sobre os signos mobilizados etc)”, complementa Junior.

Haverá ainda uma sessão especial no sábado, 26 de janeiro, com vídeos e curtas reunidos em torno de suas diferentes aproximações com a música, desde a eletrônica na animação Rave Passarim, de Fernando Libânio, até o documentário de entrevista A Maldita, de Tetê Mattos, passando pelo documentário dispositivo (A Beleza é Uma Forma de Oração, de Fernanda Goulart) e a biografia-crônica (Eu Sou Assim – Wilson Matista, de Luiz Guimarães de Castro).

Produções de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Ceará e São Paulo são destaques na programação de vídeos

Sem que a curadoria buscasse qualquer tipo de regionalização em sua seleção, atentando-se exclusivamente ao interesse estético e programático das obras inscritas, os vídeos escolhidos permitem observar uma geografia bastante clara nessa produção em digital. Minas Gerais consolida sua já tradicional produção de vídeo com 11 obras na programação. Rio de Janeiro e São Paulo, também tradicionais pólos produtores, terão respectivamente 9 e 6 vídeos exibidos. Já a surpresa deste ano fica por conta da forte safra de vídeos vindos do Ceará, que superou São Paulo com suas 7 obras selecionadas para a 11a Mostra de Tiradentes.

Um debate no dia 23 de janeiro, quarta-feira, de 14h30 às 17h, no Cine-Teatro, com a presença dos curadores da Mostra e convidados, tematizará as principais questões estéticas do vídeo e do curta no momento, levando em conta o conjunto de filmes exibidos na programação.

Abaixo, a lista completa dos vídeos selecionados para a 11a Mostra de Tiradentes:

• ..., de Juliano Gomes e Leo Bittencourt (RJ)
• A Curva, de Salomão Santana (CE)
• A Hora do Primeiro Tiro, de Gustavo Jardim (MG)
• Água Boa, Sono Bom, de Louise Ganz (MG)
• Às vezes é melhor lavar a pia, do que a louça ou simplesmente Sabiaguaba, de Irmãos Pretti (CE)
• Azul, de Themis Memória e Luiz Pretti (CE)
• Bem Intocado, de Thelma Corrêa (RS)
• Casa em Ruínas, de Paulo Miranda (SP)
• Cinco Poemas Concretos, de Christian Caselli (RJ)
• Cruzamento, de Gustavo Parente e Pedro Diógenes (CE)
• Débeis, de Steffania Paola (MG)
• Difusos Nomes no Concreto, de Rogério Terra Jr (MG)
• Doce Amargo Infinito, de Cássio Araújo (CE)
• É Hoje, de Marcelo Ikeda (RJ)
• Eternau, de Gustavo Jahn (RS)
• Eu hoje estou com fome de amor, de Dellani Lima (MG)
• Eu Te Amo, de Marcelo Ikeda (RJ)
• How To Explain Contemporary Art to Dead Chicken, de Marcelo Krasier (MG)
• Idade do Vento, Nycholas Albuquerque (PB)
• Ismar, de Gustavo Beck (RJ)
• Loucos de Futebol, de Halder Gomes (CE)
• Lúmen, de Wiliam Salvador (MG)
• Mar e Cá, de Bernardo Barcellos, Flora Dias, Leonardo Levis, Luiza Marques, Mariana Kaufman, Raphael Mesquita, Tatiana Monassa (RJ)
• Moradores do 304, de Leonardo Cata Preta (MG)
• Náusea, de Sanzio Machado (MG)
• Novela Vaga, de Beto Valente e Dado Amaral (RJ)
• O Paradoxo da Espera do Ônibus, de Christian Caselli (RJ)
• O Vazio Além da Janela, de Bruno Polidoro (RS)
• Parabéns, de Gero Camilo e Gustavo Machado (SP)
• Pé de Sonhos, de Vinicius Alexandrino (RJ)
• Rivadávia 2010, de Aline X e Gustavo Jardim (MG)
• Sob as Mãos Inertes as Pedras Suam, de Louise Ganz (MG)
• Solitário Anônimo, de Débora Diniz (DF)
• Torto, de Samuel Alves de Castro (SP)
• Um Pra Um, de Erico Rassi (SP)
• Uma Noite Qualquer, de Lello Kosby (DF)
• Vida de Balcão, de Luciano Coelho (PR)
• Vidança, de Annadia Leite Brito e Salomão Santana (CE)
• Wild Life, de Wagner Morales (SP)
• Zero Grau, de Ricardo Seco e Nele Azevedo (SP)

Vídeos – Série “Mostrinha de Cinema”
• A lenda do brilho da lua, de Gabriela Carolina Dreher de Andrade (SC)
• As aventuras de Seu Euclides, de Marcelo Roque Belarmino (SE)
• Bartô, de Luiz BoTosso & Thiago Veiga (GO)
• Calango, de Alê Camargo (DF)
• Cuco, de Samira Daher (MG)
• Galinha Pintadinha, de Marcos Luporini, Juliano Prado e Alex Leão (SP)
• Lumis, o Vagalume, de Marcelo Tanure (MG)
• Pipo Pipa, de Sheila Neumayr e Marconi Loures (MG)
• Viagem à lua, de Cacinho (MG)

Vídeos – Série “Sonoridades Diversas”

• Rave Passarim, de Fernando Libânio (MG)
• A beleza é uma forma de oração, de Fernanda Goulart (MG)

Tudo sobre o festival no site oficial AQUI.

Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta


[confira outras notícias]