Todos os premiados no Curtas Santos 2007 ::  | Curta o Curta

Todos os premiados no Curtas Santos 2007

Por Guilherme Whitaker em 24/09/2007 16:35


Todos os premiados no Curtas Santos 2007
de 17 a 22 de setembro

A seleçăo do evento reflete a qualidade e a diversidade do curta-metragem brasileiro, reunindo diretores consagrados e jovens talentos. As sinopses dos filmes e muito mais estăo disponíveis no site do Curta Santos, AQUI.

Premiados no Curta Santos 2007

Olhar Brasilis Digital

Melhor ator: Luciano Chirolli – Tudo que é sólido pode derreter
Melhor atriz: Jê Martins – Porcos não olham para o céu
Melhor Curta: Porcos não olham para o céu de Daniel Marvel
Melhor Diretor: Cássio Araújo por Doce Amargo Infinito
Melhor Som: Na Corda bamba
Melhor fotografia: Isadora Lescano por Porcos não olham para o céu
Melhor Montagem: André Bonoto e Vitor M. G. Lopes por Na corda bamba
Prêmios outorgados pelo júri
Melhor documentário: Stela do Patrocínio – A mulher que falava coisas de Márcio de Andrade
Melhor Trilha Musical: Everton Rodrigues por Porcos não oham para o céu
Melhor Animação: Os Três porquinhos de Cláudio Roberto
Pela Originalidade do tema: A encomenda do bicho medonho de André da Costa Pinto
Prêmio para "Medeia Desconstruida" pela releitura de um texto teatral com ousada experimentação de linguagem audiovisual

35mm
Melhor Filme: Pugille SP
Melhor Diretor: Criss Azzi / Sumidouro MG
Melhor Atriz: Iara Janra / O Caderno Rosa de Lori Lamby
Melhor Ator: Gustavo Brandão e Diego Junqueira Avelino da Silva / Pugile
Melhor Fotografia: Luiz Abramo / Sumidouro
Melhor Montagem Osíris Larkim / O Lobinho Nunca Mente RJ
*Especial do Júri Allan Sieber por Santa de Casa RJ

16mm
Melhor Filme: Borralho / Brasília
Melhor Direção: Arturo Sabóia e Paulo Barbosa / Borralho
Melhor Atriz: Gloria Rabelo / Borralho
Melhor Ator: Gê Martu / Borralho
Melhor Fotografia: Byron O Neill, Daniel Mendes, Thiago Costa e Mariana Simões / Curta Metragem Meta Lingüístico de Baixo Orçamento ou Aceita Mais Café?

Caiçara
Melhor Filme: Maria Capacete/ Santos
Melhor Diretor: Lucas Iannuzzi / Eu acredito em qualquer coisa/ Você acredita em qualquer coisa
Melhor Atriz: Rosane Paulo / Lovi Stori
Melhor Ator: Ivan Matvichuc / Fragmentos
Melhor Fotografia: Igor Abad e Lucas Iannuzzi / Eu acredito em qualquer coisa/ Você acredita em qualquer coisa
Melhor Montagem: Rubens Nobre / Paralelo
Melhor Som: Vinicius Giacomini, Michel Custodio e Dino Menezes / Lovi Stori
Menção Honrosa para Chistiano Sidoti por Emoções do Paquetá

Vídeo Clipe Caiçara
Melhor Vídeo Clipe: Sem direção
Melhor Diretor: Alex Cechetti/ Alexandre Volpe ( Sem Direção )
Melhor Som : Rub ( Quem Dera )
Melhor Montagem : Alexandre Volpe ( Sem Direção )
Melhor Fotografia : Quem Dera ( Alex Moreira )
Melhor Performance : KM 79 ( Sem Direção )

Vídeo Clipe Olhar Brasilis
Melhor Clipe : Eu vou tentar
Melhor Diretor: Selton Mello ( Eu vou tentar )
Melhor Som : Ela vai voltar
Melhor Montagem : Aline Nobrega ( Zôo )
Fotografia : Arnaldo Ouro ( Ela vai voltar )
Performance : Leo Rosa / Nathalia Lima Verde ( Eu vou tentar)


Curta Santos divulga júri das mostras competitivas
Nomes de peso decidirão os premiados das mostras competitivas: Beto Brant, Lírio Ferreira, Fernanda Porto e Luiz Carlos Lacerda, entre outros. A programação é gratuita.

As cinco mostras competitivas da 5ª edição do Festival Santista de Curtas-Metragens – Curta Santos –, que acontece de 17 a 22 de setembro, terão um time de jurados de reconhecida competência, formado por nomes como o cineasta Beto Brant, o diretor pernambucano Lírio Ferreira, a cantora Fernanda Porto, o crítico de cinema Luiz Carlos Merten, o diretor carioca Luiz Carlos Lacerda. O festival tem patrocínio da Cosipa e Usiminas, do Governo Federal e do Ministério da Cultura. Realização: Associação dos Artistas do Litoral Paulista em parceira com a Prefeitura Municipal de Santos.

O Curta Santos vai homenagear o ator Édson Celulari, a atriz Júlia Lemmertz, o diretor Beto Brant e o ator santista Sérgio Mamberti, que será o patrono desta edição. Mostras de filmes de Mamberti e Brant estão na programação. Bete Mendes terá uma estrela na Calçada da Fama do Cine Roxy, onde acontece a mostra competitiva do festival.

Os filmes selecionados para as mostras competitivas serão avaliados por 15 jurados, que apontarão os vencedores das diversas categorias em disputa. A mostra Olhar Brasilis 35 mm terá Adhemar Oliveira, sócio do circuito Cinearte, do qual faz parte o Espaço Unibanco de Cinema; o cineasta Beto Brant, autor de filmes como O invasor e Crime delicado, e o jornalista e crítico de cinema Luiz Carlos Merten. A Mostra Olhar Brasilis reunirá o cineasta e produtor cultural Francisco César Filho, programador do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e do Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade; o pesquisador e professor de cinema da FAAP Máximo Barro, e Nívio Motta, diretor do Museu da Imagem e do Som de Santos. A mostra Olhar Brasilis vídeo/digital terá a atriz Débora Duboc;  e Luiz Carlos Lacerda, diretor de filmes como Leila Diniz e Viva sapato! e o jornalista Marcelo Pestana. A mostra Olhar Caiçara trará o jornalista, critico de cinema e cineasta independente Christian Caselli; o roteirista, diretor e produtor Mauro D’Addio, e
Guilherme Whitaker, diretor de curtas-metragens e criador do site Curta o Curta. O Festival de Videoclipes terá a cantora e compositora Fernanda Porto; Lírio Ferreira, diretor de Baile perfumado e Árido movie, e o cantor, compositor e instrumentista Max Vianna.


O Festival Santista de Curtas-Metragens Curta Santos apresenta a lista de filmes selecionados para participar das seis mostras competitivas programadas na 5o. ediçăo, de 17 a 22 de setembro. Um total de 82 curtas (entre documentários, animaçőes e ficçőes) vindos de todas as regiőes do Brasil, participam das mostras Olhar Brasilis 35 mm, 16 mm e vídeo/digital, Olhar Caiçara, Olhar Caiçara Videoclipe e Festival de Videoclipes. As sinopses estăo disponíveis no site do festival (www.curtasantos.com). A seleçăo reflete a qualidade e a diversidade do curta-metragem brasileiro, trazendo diretores consagrados como Thomaz Farkas e Marcelo Laffitte, e jovens valores como Danilo Solferini e Esmir Filho. O Curta Santos tem patrocínio da Cosipa-Usiminas, do Governo Federal e do Ministério da Cultura. Realizaçăo: Associaçăo dos Artistas do Litoral Paulista.

A mostra Olhar Brasilis acolhe curtas-metragens brasileiros produzidos a partir de 2004 e premia o melhor filme em tręs bitolas: 35 mm, 16 mm e digital/vídeo, além de recompensar a melhor direçăo, roteiro, fotografia, montagem, som, ator e atriz.

Na categoria 35 mm concorrem Alphaville 2007 d.c., de Paulinho Caruso; Alice, de Rafael Gomes; O caderno rosa de Lori Lamby, de Sung Sfai; Cine Zé Sozinho, de Adriano Lima; Fúria, de Marcelo Laffitte; Ímpar par, de Esmir Filho; O lobinho nunca mente, de Ian SBF; Manual para atropelar cachorro, de Rafael Primo; O.D. Overdose Digital, de Marcos DeBrito; Pixinguinha e a velha guarda do samba, de Thomaz Farkas e Ricardo Dias; Pugile, de Danilo Solferini; Santa de casa, de Allan Sieber; Sumidouro, de Cris Azzi; Vida Maria, de Márcio Ramos; Yansan, de Carlos Eduardo Nogueira.

Na bitola 16 mm, foram selecionados Borralho, de Arturo Sabóia e Paulo Barbosa; curta-metragem metalingüístico de baixo orçamento ou aceita mais café?, de Byron OR17;Neill; A história secreta do telemarketing, de Bia Flecha; O homem da mata, de Antonio Luís Carrilho de Souza Leăo; Outras opçőes aguarde, de Caco Souza; Meninos de areia, de Cacau Rhoden; Meu căo me ensina a viver, de Filipe Moura; Vôo curto, de John Porciúncula.

No formato vídeo/digital, a disputa reunirá Quanto mais Manga melhor, de Michele Lavalle; Fraulein Gertie, de Lavínia Chianello e Tomás Creus; Os tręs porquinhos, de Cláudio Roberto; Rua Javari, de Rodrigo Fonseca; Rezas, curas e mitos, de Clóvis Fazio e Avir Shamaim; Calango!, de Alę Camargo; O jumento santo e a cidade que se acabou antes de começar, de Leonardo Domingues e William Paiva; A encomenda do bicho medonho, de André da Costa Pinto; Vai indo que eu já vou, Rubem Barros e Marcelo Perez; Porcos năo olham para o céu, de Daniel Marvel; Parabéns, de Gero Camilo e Gustavo Machado; O paradoxo da espera do ônibus, de Christian Caselli; Cordel da morte e do homem sem nome, de Tiago José F. C. Silva; LG - Cidadăo de cinema, de Gui Castor; Tudo o que é sólido pode derreter, de Rafael Gomes; A mulher que falava coisas, de Marcio de Andrade; Na corda bamba, de Marcos Buccini; Doce amargo infinito, de Cássio Araújo; Medea descontructed/ Medea desconstruída, de Inęs Cardoso; Como se rouba a cena no cinema, de Luis Tadeu Carraca, Marcele Guerra, Otávio Augusto e Rafael Ferreira.

A mostra Olhar Caiçara tem o objetivo de revelar, incentivar e discutir a produçăo do Litoral Paulista. Disputam o certame ficçőes, documentários e animaçőes com até 20 minutos de duraçăo. Os videoclipes concorrem separadamente. Além do pręmio de melhor filme, serăo atribuídos pręmios de melhor direçăo, roteiro, fotografia, montagem, trilha sonora original, ator e atriz.

Participam Superficial, de Nelson Augusto; 10:10, de Douglas Siqueira; Criar mensagem, de Érico Patrício Monteiro; James Ton x o homem da pistola de plástico, de Bruno Ayres e Douglas Ayres; Maria Capacete, de Eduardo Bezerra e Victor Luiz; Lovi stori, de Dino Menezes, Vinicius Giacomini e Michel Custódio; eu acredito em qualquer coisa / vocę acredita em qualquer coisa, de Lucas Iannuzzi; Sangue e perfumes, de Silvana Andrade; Herrera; O homem por trás da lente, de Débora Magalhăes Valente e Débora Pedroso Couceiro; Fragmentos, de Joăo Guilherme Moreira Peixoto; Paralelo, de Rubens Nobre; Emoçőes em Paquetá, de Cristiano Sidoti; A maçă, de Iasmin Martins; Saudades da minha Bahia, de José Elias; Atletas especiais e a superaçăo por meio do esporte, de Tássia Albino.

Na mostra Olhar Caiçara Videoclipe, concorrem Quem dera, de Joăo Amodio e Rubens Nobre; Fake world, de Jeniffer Santos e Mayara Soares; O que se pode perder, de Vinícius Giacomini e Michel Custódio; Na real, de Paulinho Rocha e Rica Mentex; Me faz viver, de Bruno Santoni; Uniăo, de Cristiano Sidoti e Caio Bosco; Shadow of your smile, de Vinícius Giacomini; Celebrate the blood, de Marcos Politi; Sem direçăo, de Alex Cechetti e Alexandre Volpe.

O Festival de Videoclipes agrupa produçőes do estado de Săo Paulo, realizadas a partir de 2005. Categorias técnicas e performances cęnicas e musicais também receberăo pręmios. Disputam A waltz for the moment; Lonely Nerds Songbox, de Marcos Ricardo Soares e Arthur Tuoto; Lamento; Bárbara e os Perversos, de Petrônio Lorena; Eu vou tentar; Ira, de Selton Mello; Zôo ; Karnak, de Daniel Lima; Arrasa Bi ; Supla, de DrooDroo & Tony Atomic; Quem já perdeu um sonho aqui?; Hateen, de Ricardo Laganaro; Orgulho; Agregados FDR, de Fábio DeSilva; Quero sangrar em cima de voce; Zackarias Nepomuceno, de Marcelo Villanova; A cara do cara ; Naffta, de Marcelo Garcia; Träneblut, du bist schön; Grilowsky,de Grilo; Pirata do Tiete; Baranga, de Marcelo Garcia; Para o infinito, de Gabriela Caldas; Ela vai voltar; Charlie Brown Jr, de Afonso Poyart e Ludmilla Rossi; Na parede do quintal; Tihuana, de Tocha Alves e Marcelo Panizza; Green Goes; Green Goes, de Gustavo Ferreiro.

A gala de abertura do 5o. Curta Santos acontece no dia 17 de setembro, no Teatro Coliseu, com a projeçăo de Quando o tempo cair, fora de competiçăo. É o primeiro filme escrito e dirigido pelo ator Selton Mello, com o veterano Jorge Loredo no papel principal.

Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta


[confira outras notícias]