TV Morrinho faz sessões e debate com escolas públicas ::  | Curta o Curta

TV Morrinho faz sessões e debate com escolas públicas

Por Guilherme Whitaker em 12/11/2012 06:58


Sessões de curtas para escolas públicas e debates agitaram a primeira semana da 11ª edição do Curta no almoço na Caixa Cultural - Rio de Janeiro.

Ao longo da semana foram exibidos vários curtas nacionais. Com horários estratégicos para atrair o público, as sessões da mostra acontecem sempre no horário do almoço, entre 12h30 a 14h. Além de poder desfrutar dos curtas, o público que compareceu na Caixa Cultural teve a oportunidade de concorrer a sorteios de brindes como camisas e livros.

Em sessões de até 25 minutos, os cinéfilos de plantão eou o público em geral puderam conferir filmes de diversos gêneros, alguns premiados em festivais no Brasil e no exterior. 

E na quinta e sexta-feira, alunos das escolas da rede pública de ensino, do Colégio Estadual Várzea da Alegria e Escola Municipal São Bento assistiram a uma sessão especial com curtas produzidos por jovens do projeto TV Morrinho. Após a sessão, os alunos participaram de um debate com o pessoal da ONG Morrinho, cuja sede fica em Laranjeiras.

Nesses dois dias, durante mais de uma hora, Cirlan Oliveira, Raniere Dias e o produtor Chico Serra contaram para cerca de 70 jovens como surgiu o Projeto Morrinho e a trajetória percorrida por eles. Conhecidos internacionalmente, os membros da equipe já viajaram para fora do país, participando de eventos importantes como o Fórum Urbano do Mundo em Barcelona e a Bienal de Veneza. De acordo com Chico Serra, os filmes produzidos nas oficinas promovidas pelo projeto têm como objetivo primordial resgatar a diversidade cultural. Para o produtor, o projeto pode ser enxergado como uma escola de arte aberta, voltada para a toda comunidade.Desde 2004, o Projeto Morrinho realiza exposições, workshops e projetos audiovisuais voltados para jovens, contribuindo no processo de geração de renda dentro da comunidade.

Para a professora Maria José Rodrigues de Carvalho, que leciona a disciplina de história, afirma que o cinema nacional pode ser utilizado como um instrumento para auxiliar no processo de aprendizagem de diferentes conteúdos dentro das disciplinas básicas oferecidas nas escolas. “É extremamente fundamental, o professor que não usa está deixando de ter uma ferramenta importante no processo educacional” relata a professora.

No que diz respeito ao incentivo à produção audiovisual nas escolas, a aluna Ana Carolina Zambrothi, define como algo interessante, não só para quem está produzindo os filmes, mas também para quem está assistindo. Fazendo com que o audiovisual possa funcionar como estímulo para ver sonhos e ideias sendo transformados em realidade. 

O Curta no almoço teve sua estreia no ano de 2007, na Caixa Cultural no centro do Rio de Janeiro. Desde sua primeira edição, já foram exibidos ao todo na mostra cerca de 210 curtas, contabilizando um público de mais de 10.200 pessoas ao longo das 10 edições do evento, que acontece sempre duas vezes ao ano. Curta a diversidade, curta a praticidade, curta é cinema!
 


Comente aqui...


Você precisa digitar algo na caixa de texto.
Não foi possível enviar seu comentário.
Informe um e-mail válido.
Você precisa informar um nome.
Você precisa digitar algo na caixa de texto.

Jornal do Curta


[confira outras notícias]